Lojas e marcas

HEDO: a marca de T-shirts portuguesas inspiradas em artistas como Frida Kahlo

A marca portuguesa começou a ser pensada no ano passado por dois grandes amigos com gostos antagónicos.
O tom "melancia".

A nova marca portuguesa de T-shirts chegou ao mercado para comparar as suas propostas de vestuário a um quadro de Frida Kahlo, uma reflexão de Sun Tzu, uma obra de George Orwell ou uma história dos irmãos Grimm. Pode parecer uma grande confusão, mas na realidade o conceito da HEDO é bastante simples: cada modelo que vendem presta homenagem a uma personalidade inspiradora para os fundadores.

João Carvalho, de 26 anos, e Diogo Cunha, de 27, são amigos há 15 anos e sempre quiseram lançar-se num projeto juntos. “Entre várias conversas, falávamos sobre roupa e sobre peças que poderiam ser comuns tanto a pessoas que têm uma grande preocupação com o seu estilo, como para as mais despreocupadas”, contam os fundadores à NiT.

O facto de terem estilos e gostos diferentes deu-lhes vontade de criarem uma marca que pudesse agradar a toda a gente e combinar a ousadia do João à simplicidade do Diogo. Esta espécie de antagonismo, revelam, transparece até nos percursos profissionais que seguiram — o primeiro demorou demasiado tempo a licenciar-se em Direito pela Universidade Católica de Lisboa, já que estava mais focado nos seus trabalhos como DJ (com o nome Half Meter), uma paixão que segue há 9 anos; o segundo é o típico aluno perfeito, licenciado em Economia pela Universidade Nova de Lisboa, com um Mestrado em International Finance tirado em Paris e passagens por empresas como a Uber, Katoo e BCG.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por HEDO Atelier (@hedoatelier) a

O que concluíram nos seus brainstormings foi que toda a gente usa T-shirts. “Começámos a desenvolver esta ideia de criar T-shirts básicas, mas ousadas; simples, mas com qualidade”, explicam. Assim, a primeira decisão foi colocarem no mercado português um produto feito com algodão 100 por cento biológico certificado, garantindo também a sustentabilidade na produção. “Primámos por isto e não olhámos a meios para o alcançar. Procurámos algodão e produtores que nos garantissem a durabilidade das peças”, recordam.

Garantida esta parte do negócio, resolveram ir atrás daquilo a que chamam um “extra”, para criarem uma personalidade única para a marca: cada peça tem apenas 70 unidades disponíveis para vende e o que distingue umas das outras são os desenhos gravados na manga esquerda e uma frase escrita na omoplata direita. 

Todos os desenhos são feitos à mão, por João, que também escreve frases famosas de cada personalidade nos tecidos. Ao todo, criaram quatro opções com retratos inspirados em artistas que admiram: Frida Kahlo, com a frase “Piés, para que lós quiero si tengo alas para voltar?”; Sun Tzu, “Pretend inferiority and encourage his arrogance”; George Orwell, “Freedom is the freedom to say 2+2 = 4”; e Irmãos Grimm, “One Feather is of no use to me, I must have the whole bird”.

As opções estão disponíveis em cinzento, azul, branco, off white e “cor de melancia” — um tom algures entre o cor de laranja e o salmão. Todas custam 41€ e estão à venda na loja online da HEDO. Na compra de cada unidade, oferecem ainda sacos de pano da marca, que são feitos a partir de sobras de tecido encontrados nas fábricas onde produzem as suas peças, e também de uma breve história sobre cada modelo escolhido.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por HEDO Atelier (@hedoatelier) a

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT