Lojas e marcas

Inditex regressa à Ucrânia e reabre 20 lojas no país ainda em guerra

As aberturas serão adaptadas às necessidades do mercado e vão decorrer tendo em conta as atuais circunstâncias do conflito.
A Zara é uma das marcas que pertence ao grupo Inditex.

A Inditex fechou os seus pontos de venda na Ucrânia aquando do início do conflito com a Rússia, em fevereiro de 2022. Juntou-se assim a outras marcas, como a H&M, que também suspenderam as operações na sequência da invasão militar russa e das sanções económicas previstas.

Agora, passados mais de dois anos, o grupo retoma esta terça-feira, 2 de abril, o comércio online na Ucrânia. A partir de amanhã, 3 de abril, vão então reabrir cerca de 20 das suas lojas, em Kiev. 

Este será um processo feito de forma gradual. Leopolis é outro dos locais que ainda esta semana vai começar a ter alguns dos espaços novamente abertos, o que significa que marcas como a Zara, Pull&Bear, Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius, Oysho e Zara Home, vão voltar a ser comercializadas pelas ruas.

As aberturas serão adaptadas às necessidades do mercado e vão decorrer tendo em conta as atuais circunstâncias. Quer isto dizer que a Inditex ainda poderá abrir cerca de 30 de lojas nos próximos meses, sempre nas zonas afastadas do conflito.

Relativamente à Rússia, o grupo chegou a acordo para vender as suas mais de 500 lojas naquele país ao grupo Daher, do Médio Oriente, para preservar os quase nove mil postos de trabalho. A ideia era que o grupo libanês assumisse o negócio durante a guerra. No entanto, em setembro do ano passado, a Inditex revelou estar a considerar a retoma das operações na Rússia — num investimento de 211 milhões de euros. Para já, o processo de transferência não foi concretizado.

Várias marcas russas têm preenchido as lacunas deixadas pelas empresas ocidentais que deixaram de operar no país devido às sanções internacionais. Exemplo disso é Gloria Jeans que passou a tomar conta da gigante retalhista sueca H&M, em Moscovo. Estima-se que indústria da Rússia tenha sofrido prejuízos de 2,5 mil milhões de dólares (aproximadamente 2,31 mil milhões de euros).

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT