Lojas e marcas

Luca: os biquínis e fatos de banho que provam que todos os corpos são bonitos

“Um corpo bonito é aquele em que te sentes confortável”, explica a jovem que criou a nova marca portuguesa de roupa de banho.
São biquínis para todas

Foi uma espécie de bizarro encontro entre a realidade e um sonho que empurraram Catarina Rocha para o mundo dos biquínis. Depois de comprar uma peça L e perceber que não lhe servia, a noite trouxe-lhe um cenário: era a orgulhosa dona de uma marca de roupa de banho.

Premonitório ou não, a verdade é que a portuense de 28 anos é, hoje, precisamente a dona e fundadora da Luca, a nova marca de swimwear portuguesa. Não era para ser assim.

Sonhava ser jornalista, acabou a produzir eventos como as festas Revenge of the 90’s, mas quando a pandemia parou todas as festas e culminou num despedimento coletivo, foi forçada a deixar a capital e a regressar a casa. “Aos poucos tentei reinventar-me. Tinha o sonho de ter uma marca, não propriamente de biquínis.”

A premonição noturna ofereceu-lhe a ideia. Agarrou-a e sondou uma amiga, dona de um atelier que produzia, entre outras coisas, biquínis. Coincidências atrás de coincidências, Catarina marcou encontro e saiu do atelier sem uma sócia, mas com uma coleção praticamente desenhada e pronta a produzir.

“A coisa deu-se muito naturalmente. Queria também perceber que necessidades enquanto cliente é que não estavam a ser colmatadas pelo mercado”, explica. “O meu tipo de corpo não é, de todo, um corpo de modelo. E eu queria chegar a pessoas como eu, normalíssimas, que não se conseguem rever em nenhuma coleção de biquínis.”

A sua própria experiência serviu de base para o conceito que quis implementar na Luca, a marca que está prestes a celebrar o primeiro mês de existência. “Eu tenho as coisas bem resolvidas na minha cabeça, mas há miúdas gordinhas, que têm mais peito ou mais anca, para quem isto é uma fragilidade muito grande”, nota.

“Quem não tem esse poder de encaixe ou consegue lutar contra isso, sai muito fragilizado. Depois temos os problemas de saúde e até mentais. Quis muito colmatar isso, até porque já senti na pele o que é ter um biquíni que não serve e devolvê-lo, não ir à praia com amigos porque não me sentia confortável com o meu corpo”, explica a criadora da marca.

Antes mesmo de lançar a Luca, criou um questionário que enviou a todas as amigas. A ideia passava por perceber se partilhavam das queixas e preocupações de Catarina. O resultado foi esclarecedor.

“O questionário bateu muito certo, foi quase chapa cinco daquelas que eram as minhas preocupações que são também as preocupações de muita gente. São problemas que já deviam ter sido colmatados há muito tempo, sobretudo numa época em que a positividade do corpo está tão presente.”

Todas as peças foram desenhadas com pequenos pormenores em mente. De uma parte de baixo com a “lateral mais larga”, de forma a “tapar as curvas naturais que o corpo faz”, a fatos de banho que podem ser usados como bodys. Há um pouco de tudo.

A marca quer promover a positividade do corpo

A primeira e por enquanto única coleção disponível chama-se Saudade e inclui quatro partes de cima, quatro partes de baixo e três fatos de banho, todos com cores clássicas e outras mais invulgares, do laranja ao azul marinho, passando pelo champanhe. Os preços variam entre os 27€ e os 78€.

“A coleção chama-se assim porque se inspira em exemplos de mulheres da minha vida, algumas já não está cá, mas foram as musas”, explica Catarina, que deu os seus nomes às diferentes peças. “Luísa era o nome da minha mãe, que perdi há cinco anos. Foi a forma que encontrei para homenagear estas mulheres absolutamente inspiradoras. Perdi-as todas para o cancro, mas foram lutadoras até ao último dia. É também uma forma de as representar.”

Todas as peças são feitas de licra e elastano, produzidas num pequeno atelier do Porto, sempre à mão. Entre os best sellers estão já os modelos Maria Manuel, o fato de banho “mais estruturado e diferente”, que pode ser usado na praia ou com um par de calças; e a parte de cima Cate que diz ter provocado uma “loucura” que, acredita, por se tratar de um modelo cujas alças podem alternar entre formato tradicional e cruzado.

Embora não estejam para já previstas novas coleções nos próximos tempos, o primeiro mês de vida vai ser celebrado com uma novidade: os clientes vão poder personalizar alguns dos modelos com outras cores na palete da marca. Tudo isto sem um acréscimo no preço. As peças estão à venda exclusivamente no site da marca.

Carregue na galeria para conhecer algumas das peças da Luca.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT