Lojas e marcas

More Is Better: a marca de carteiras com peles portuguesas e italianas

As clientes elogiam o cheiro do material, o toque suave e os acabamentos. Todas as propostas são feitas à mão.
Duram anos no armário, garante a fundadora.

Durante a licença de maternidade do primeiro filho, em 2012, Ana Freitas precisou de encontrar formas de se ocupar. O facto de estar fechada em casa levou-a a entrar numa espiral de vídeos de projetos DIY (do-it-yourself). Quando deu conta, já criava as primeiras pulseiras à mão.

“Na altura, ainda só havia o Facebook e comecei a partilhar as peças que fazia por lá”, conta à NiT. “Nesse período, recebi logo muitos comentários positivos e entendi que havia interesse por parte das pessoas. Podia metê-las à venda e fazer disto um negócio.”

Nos anos seguintes, a professora de 46 anos continuou a explorar a sua criatividade. Usou uma pele que tinha em casa esquecida em casa para fazer uma pochette, à qual acrescentou pregas e ferragens. Na altura, foi um dos primeiros artigos que chamou à atenção dos seguidores.

A ideia começou como um passatempo, mas tornou-se num negócio. Em setembro, Ana lançou o site oficial da marca More Is Better, focada em carteiras feitas à mão com peles portuguesas e italianas. Até então, as vendas da etiqueta aconteciam apenas através das redes sociais.

A fundadora decidiu focar-se na marroquinaria quando percebeu que “havia uma lacuna em Lisboa e, em Portugal, em geral”, ea  oferta de fios e pulseiras era mais vasta. “Se quiser uma boa carteira em pele, com um design atual, ou vai à Avenida da Liberdade comprar uma Louis Vuitton, ou vai a uma fast fashion e compra plásticos”, explica.

Desde o início, a etiqueta move-se consoante as necessidades de Ana: “Não queria gastar milhares de euros num modelo de luxo, mas tinha dificuldade em encontrar um desenho com qualidade e de valor intermédio”.

O principal objetivo da More Is Better é acompanhar as tendências de consumo, assim como a sazonalidade. O catálogo inclui as cores que se estão na usar em determinada época — como “os tons chocolate no inverno”, por exemplo — e os modelos mais procurados. Se as mulheres procuram modelos para usar a tiracolo, ou opções XXL, vão encontrar.

Contudo, a etiqueta não se resume aos designs atuais. Quando compram uma proposta, as clientes “elogiam o cheiro da pele, os acabamentos e o toque suave na mão, quando têm possibilidade de tocar”, sublinha.

Todas as peles nacionais são encomendadas a fornecedores no Porto, enquanto as italianas vêm de uma marca de Milão. “No início, era difícil encontrar fornecedores porque só vendiam em quantidades enormes. E tinha que me deslocar aos sítios, porque existem várias espessuras e tintas, e queria perceber o que era bom.”

Alguns dos modelos da última coleção.

No processo de confeção, que ocorre no norte do centro do País, Ana também acompanha todas as etapas. Quando são criados modelos novos, tenta estar presente e fazer um teste. Na primeira semana, anda com a carteira para perceber se corresponde às expetativas e, só depois, pensam nas cores e na quantidades — que nunca são industriais, para evitar excedentes.

A ideia é manter uma produção limitada, com duas coleções sazonais. Em cada lançamento, as clientes podem encontrar até seis modelos diferentes, em várias cores, com lançamentos pontuais em épocas especiais.

Em todas as novidades, há sempre algo que é característico à marca: são peças versáteis que podem ser usadas durante o dia ou à noite. É o caso da bestseller, a Jumbo Bag, que pode ser colocada ao ombro ou na cintura, como as famosas fanny pack.

São vários os modelos podem ser usados a tiracolo, de maneira descontraída, até que a alça é removida. No final, transforma-se numa clutch para um evento mais formal. Outros têm alças ajustáveis, que se “enfiam dentro da mala e fica com o formato de um rebuçadinho”, afirma.

Apesar do nome, que se traduz para “mais é melhor”, Ana não quer incentivar o consumismo. A ideia surgiu porque as primeiras pulseiras ficavam bem quando acumuladas no braço. Desde então, a premissa mudou: agora aposta “ainda mais na qualidade, no feito à mão e português”, conclui. Mas sempre menos malas.

As propostas da More is Better estão disponíveis no site da marca, com preços entre os 130€ e os 210€. Carregue na galeria para conhecer alguns dos modelos mais vendidos.

 

 

 

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT