Lojas e marcas

No novo salão de Lisboa pode tratar das unhas e do cabelo (e ganhar novos amigos)

O Zero35 é a materialização de Diego Martins. O espaço e a relação entre clientes e funcionários são bastante acolhedores.
É um ambiente pequeno mas íntimo.

Diego Morais, de 29 anos, é mais um exemplo daqueles que vieram para Portugal à procura da concretização de um sonho. No início de maio — e após um investimento entre 28 e 32 mil euros — abriu o Zero35, um salão especializado em unhas e cabelos. No Brasil, participou em vários projetos na área da beleza, pela qual sempre teve uma grande paixão.

“Entrei nesta área quando tinha apenas 14 anos, como assistente, e desde aí que continuei”, começa por contar à NiT. “Nunca tive uma referência familiar e não consigo especificar o porquê de gostar tanto disto, mas sempre tive um interesse muito grande, durante toda a minha vida achei esta arte bonita e identifico-me muito com a questão do cabelo”, refere.

No país de origem, juntamente com dois outros sócios, teve um salão chamado Hairtrend. Tinha uma equipa de 15 pessoas, cinco vezes maior do que aquela que hoje tem em Lisboa, na Lapa. “Esta zona vai ao encontro da experiência que queremos passar. É um lugar que transmite muita tranquilidade”, diz. Além de usufruir de um tratamento calmo, o objetivo é que acabe por criar uma relação com os especialistas.

A ideia desta abordagem bastante pessoal surgiu, como muitas outras, nos tempos de pandemia. “Durante a Covid-19 abri um estúdio no meu apartamento, uma parte separada. Percebi que os clientes gostavam de ter um atendimento mais personalizado, um momento comigo onde podíamos conversar mais e ter maior privacidade. Depois disso, decidi abrir algo mais pequeno para ter isto da proximidade”, sublinha.

O nome deste novo salão, Zero35, é uma homenagem às suas raízes brasileiras. Cresceu em Santo António do Amparo, Minas Gerais. Ali, o identificador de chamada era o 035. Mas não foi apenas isto que trouxe consigo. “Lá temos muito este conceito de agregar unhas e cabelo num sítio só, para que as pessoas possam sair do salão totalmente arranjadas. Queríamos agregar estes serviços.”

A equipa é bastante pequena, permitindo que conheça toda a gente que ali trabalha. Na receção encontramos Carolina Morais, a irmã de 22 anos de Diego. Além de rececionista, é fotógrafa. Flávia Lopes, de 29 anos, é a responsável pelas unhas. “Começou como minha cliente, num outro salão. Fez o cabelo comigo e tornámo-nos amigos e chegámos a Portugal no mesmo período [em 2019]. Ela trabalhava num café, mas no Brasil já tinha estado nesta área da beleza e tinha interesse em regressar”, recorda o brasileiro. Fez-lhe o convite e o “sim” foi imediato.

Já Alyne Mehl tem 41 anos, e é cabeleireira (tal como Diego). Ambos são especializados em louros, cores e cortes. Conheceu-a noutro espaço onde trabalhou e sempre adorou os seus cortes e pinturas. “Quando decidi abrir o Zero35, foi a primeira pessoa em quem pensei”, comenta.

A decoração é minimalista, para que nunca se sinta assoberbado. “Sempre quis trazer estes tons e aspeto orgânicos. Mas o mérito não foi meu. Tive a ajuda de uma amiga, ela ajudou-me a desenvolver a ideia.” Espalhados pelo espaço há apontamentos madeira, luzes LED e pequenas plantas.

Os preços podem variar, mas um corte feminino custa, geralmente, 50€ — inclui lavagem e brushing. O masculino custa 30€. Já as madeixas vão dos 140€ aos 180€, mas depende sempre do tamanho do cabelo. A coloração tem um preço de aproximadamente 60€ e as unhas rondam os 17€. “Também temos alguns tratamentos orgânicos para o cabelo, com produtos vegan”, menciona o cabeleireiro. Variam entre os 48€ e 58€.

Carregue na galeria e descubra melhor o novo salão de Lisboa.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Bela Vista à Lapa 75A
    1200-750 Lisboa
  • HORÁRIO
  • De segunda-feira a sábado das 10h às 19h

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT