Lojas e marcas

A nova marca portuguesa de luxo usa tecidos reciclados (e faz peças à medida)

Todos os artigos da Non Manon são feitos à mão, com deadstock de fornecedores nacionais.
A blusa Hedy.

Marta Carvalho, de 23 anos, estava farta de procurar uma marca portuguesa sustentável que tivesse peças que ela realmente quisesse comprar. A maioria das marcas eco-friendly, explica à NiT, focam-se em produzir artigos simples e minimalistas, uma estética que não satisfaz quem gosta de padrões coloridos, silhuetas femininas e cortes inspirados noutras épocas.

Assim, a designer de moda natural de Viana do Castelo — que tirou a licenciatura na Faculdade de Arquitetura de Lisboa — decidiu criar uma marca sua, que pudesse replicar o sentimento de encontrar um “tesouro” numa loja vintage, mas que produzisse vários tamanhos, o mais inclusivos possível.

O resultado foi a Non Manon, uma marca 100 por cento portuguesa que vende peças em quantidades limitadas, feitas com tecidos sustentáveis, vintage e deadstock. Todas as coleções são desenhadas por Marta, que trabalha com uma modelista e uma costureira para “transformar as ideias em realidade”.

A roupa é confecionada por encomenda e à medida. “O modelo made-to-order, em que se produz apenas uma peça depois de já ter sido encomendada, garante que não ficamos com stock desnecessário. E como queria que qualquer pessoa pudesse usar roupa Non Manon, a opção de fazermos peças à medida dá-nos a liberdade de vestir qualquer tamanho”, conta a criadora.

View this post on Instagram

IT'S LIVE! Visit the link in bio to get your Hedy blouse before they're gone 💕 (update) After 24 hours of pre-launch for newsletter subscribers, my website will be available to everyone today at midnight UK/BST time. Who's ready to grab one of my limited edition blouses? 🧡💖 Stay tuned because I'll announce on my stories as soon as the website is ready!⁠ ⁠ ⁠ ⁠ ⁠ ⁠ ⁠ ⁠ ⁠ #nonmanon #mywhowhatwear #dailyfashioninspo #seamstressonduty #staplepiece #balloonsleeves #puffsleevetop #womensstyles #dressupordown #fashiondesigning #fashionsketch #floralprint #cottagecore #cottonprinted #uniqueclothing #boldfashion #fashionofinstagram #colourfulfashion #vichyprint #feelgoodstyle #justbloodywearit #vintageinspiredfashion #make2020sustainable #30wears #buylessbuybetter #mystylediaries #shopthislook #statementfashion #elegantfashion #fashionbomb

A post shared by NON MANON (@nonmanonbrand) on

O site da Non Manon surgiu no início deste ano como uma loja vintage online, mas acabou por se transformar numa marca de roupa sustentável este mês de agosto. “A ideia de transformar a loja numa marca surgiu durante o período de isolamento social”, revela Marta.

Depois de decidir que ia deixar de comprar fast fashion de forma definitiva, as ideias para desenvolver a sua própria marca surgiram naturalmente. A Non Manon lança apenas uma peça de cada vez, geralmente produzida em vários tecidos e disponível por encomenda. A primeira proposta é uma blusa chamada Hedy, inspirada na atriz e inventora dos anos 40 Hedy Lamarr.

A influência de uma cultura vintage, inspirada nos filmes e personagens de épocas passadas, levou também à escolha do nome. “Manon 70”, conta Marta, é um filme do final dos anos 70 com Catherine Deneuve. “Sempre foi um dos meus favoritos e o guarda-roupa da personagem é incrível. Quando estava a pensar num nome, lembrei-me deste filme e acabei por acrescentar o ‘non’ pela sonoridade”.

Para a primeira coleção, Marta comprou todos os tecidos a fábricas portuguesas que tinham restos de stock para vender. “Eventualmente, tenciono trabalhar também com fornecedores internacionais”, admite. As etiquetas, fechos, cartões e caixas para os envios também são produzidos no nosso País.

As peças da Non Manon podem ser encomendadas entre o XS e o XL ou feitas à medida da cliente, sem custo acrescido. O serviço de personalização garante que todas as clientes podem usar a blusa Hedy e pretende “devolver à indústria a atenção ao detalhe e a qualidade handmade das peças de outros tempos”, segundo Marta.

As propostas estão à venda em exclusivo no site, que faz envios para todo o mundo. A blusa Hedy está disponível em três tecidos — vichy, cherry red e floral — e os preços variam entre os 128 e os 183€.

View this post on Instagram

Introducing the Hedy blouse in Floral 🌸🌷⁠ ⁠ Made with 100% deadstock cotton, this beauty is the most romantic of the three (and also the most limited, with only 10 pieces available before it's gone forever). ⁠ ⁠ This fabric is a dream, and so is the summery print! You can wear it up or down, and it's perfect for a picnic date 💕⁠ ⁠ ⁠ Join the newsletter (link in bio) to get yours tomorrow at midnight 💖⁠ The first 10 orders will receive a free vintage beaded necklace made by me.⁠ ⁠ ⁠ ⁠ ⁠ ⁠ #nonmanon #colorfulprints #floralmotif #worldtextiles #creativeclothing #seamstressonduty #staplepiece #balloonsleeves #puffsleevetop #womensstyles #dressupordown #fashiondesigning #fashionsketch #floralprint #cottons #cottonprinted #lovedclotheslast #slowfashionblogger #buylesschoosewell #ethicalshopping #ethicalliving #sustainablymade #sustainabletextiles #slowfashionmovement #sustainablefashionbrand #shopethical #buylessbuybetter #shopconsciously #mindfullymade #consiousconsumer

A post shared by NON MANON (@nonmanonbrand) on

Quem manda nisto tudo?

Nome: Marta Carvalho;
Idade: 23 anos;
Guilty pleasure: “Adoro fazer maratonas de filmes do início dos anos 2000, como ‘Mean Girls’ e ‘Legally Blonde’. A roupa dessa altura continua a inspirar-me hoje em dia”;
Peça favorita: “Neste momento é a Hedy Blouse em Orange Vichy. Apaixonei-me pelo recido assim que o vi e continuo a achar que é o padrão que melhor reflete a essência da Non Manon. Além disso, é surpreendentemente versátil”;
Convença-nos a conhecer a marca: “Quem compra Non Manon acrescenta ao seu armário algo único, de edição limitada e produzido de forma sustentável em território nacional”.

A criadora com a blusa Hedy.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT