Lojas e marcas

Os móveis de Miguel Raposo já têm morada em Lisboa (e podem ser personalizados)

Cada ambiente simula uma divisão diferente. O objetivo é que o cliente possa imaginar logo as peças na sua própria casa.
Mais de 30 anos de carreira.

“Não gosto de seguir tendências, porque se esgotam no tempo e no espaço”. A filosofia de Miguel Raposo, de 59 anos, mantém-se constante há três décadas. A cada novo projeto de interiores, imprime um pouco das suas influências — uma fotografia, “um bom livro” ou música — aos espaços.

Quando se formou em design industrial, nos anos 90, pensou em seguir arquitetura. Porém, quando o criativo começou a trabalhar em ateliers, nunca mais parou. Em 2008, com uma assinatura já vincada, decidiu abrir o próprio espaço e agregar profissionais de várias áreas.

“Ao longo destes anos, tenho explorado a simbiose de vários campos, sobretudo na área de reabilitação”, conta à NiT. “No entanto, havia sempre a necessidade de projetar móveis e peças específicas para os meus clientes e tornou-se o meu principal foco.”

E chegou a altura de abrir as portas do seu trabalho. No final de novembro, Miguel Raposo inaugurou um espaço homónimo na Rua da Junqueira, em Lisboa, que junta loja e showroom. Inserido num edifício residencial com três pisos, simula vários ambientes domésticas com as suas propostas intemporais.

A novidade surgiu com um objetivo principal: Miguel Raposo queria ter uma montra aberta ao público para as criações que tem idealizado ao longo dos anos. O espaço complementa os projetos em nome próprio do designer e destina-se a todos os clientes privados e profissionais que queiram adquirir as suas peças.

“O objetivo é atrair clientes e mostrar que qualquer um pode fazer aqui as suas compras. Não tem de estar agregado a um projeto de interiores ou arquitetura”, acrescenta, reforçando a possibilidade de personalizar as opções. “Têm toda a liberdade para conjugar cores e texturas ou adaptar os materiais e as dimensões.”

Além dos móveis criados por Miguel, as várias divisões — que simulam o espaço de uma casa — misturam antiguidades, obras de arte e achados vintage. Até porque um lar não se faz só com peças de autor.

“Tenho um gosto eclético. Sou apaixonado pelos clássicos dinamarqueses, peças dos anos 50 e adoro a estética contemporânea italiana”, acrescenta. “No fundo, consigo perceber as diversas correntes artísticas e recolher inspirações de cada período.”

É através destas influências que cria a sua coleção, com o objetivo que “passe de geração em geração”. “Gosto de classificar o meu trabalho como intemporal. Não me afasto das tendências por arrogância, mas porque a minha preocupação é encontrar algo que resista ao teste do tempo.”

Um dos fatores-chave é a nobreza dos materiais utilizados nas criações, sendo que o fundador prioriza a pedra, a madeira e o metal. Em todos os casos, Miguel opta pela produção 100 por cento nacional e assume-se como um dos poucos designers portugueses que desenha e cria as próprias linhas.

Após a idealização, a execução das peças é feita em Portugal. Os pedidos são distribuídos por vários mestres-artesãos, localizados no norte do País, que adquiriram a confiança do criativo ao longo de 30 anos de carreira.

“Muitas vezes, quando compramos um móvel, não temos noção de como ficará enquadrado na nossa casa”, conclui. “Agrada-me o facto de pensar que as pessoas podem entrar na loja e criarem logo essa imagem. É esse o impacto que quero causar.”

Carregue na galeria para ver algumas imagens do novo espaço de Miguel Raposo, bem como de vários ambientes criados pelo designer.

 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Junqueira, 203
    1300-338 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Segunda a sexta-feira das 10h às 18h

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT