Lojas e marcas

Pico Tango: a marca de fraldas reutilizáveis que acompanham o crescimento do bebé

Inês Correia fez testes durante um ano até lançar os modelos a pensar no conforto dos mais novos. São resistentes e muito fofas.
O material contém plástico marinho reciclado.

As fraldas reutilizáveis são cada vez mais populares, apesar de ainda existirem muitas dúvidas sobre elas que estão na origem de muitos mitos. A normalização do uso destes artigos, que evitam o constante descarte de uma necessidade diária dos mais pequenos, passa por projetos dispostos a esclarecer as confusões.

Mãe de duas filhas e engenheira do ambiente, Inês Correia é a mente por trás da Pico Tango. Dedicou-se a vários projetos internacionais de poluição aquática e gestão de recursos hídricos, missão que imprimiu neste projeto, nascida no início de maio de 2022.

As duas filhas, com 18 meses de diferença, encontram-se na base da ideia. No primeiro parto, a opção pelas fraldas reutilizáveis de tamanho único resultou em fugas de urina. “Observei que este sistema, independentemente do restante design da fralda, cria uma contracurva de tecido excessivo na parte da frente, que dá origem a estas fugas”, conta à NiT a fundadora, de 32 anos.

A nível de durabilidade, ao contrário do esperado, “por volta dos 15 meses de idade, algumas molas de pressão começaram a assentar em cima dos ossos da bacia do bebé, causando-lhe desconforto”.

A marca foi criada para pais conscientes e bebés com estilo.

Após o nascimento da segunda filha decidiu testar as falhas dos modelos disponíveis no mercado. Durante mais de um ano, converteu o quarto de bebé num ateliê e a lavandaria tornou-se um laboratório “para testar a absorção, lavagem, secagem e resistência aos têxteis” que encontrou. Desenhou, costurou e testou mais de 30 protótipos nas filhas, ficando surpreendida com o conforto em bebés de tamanhos tão distintos.

O nome da marca, Pico Tango, faz uma referência à espécie de peixes Tang Azul do Pacífico  a eterna Dory do filme de animação “À procura de Nemo”. Representam a beleza dos corais saudáveis e esta ligação natural que a fundadora estabelece com o mundo marinho.  “Somos a primeira marca de fraldas reutilizáveis no mundo que usa fios de poliéster 100 por cento Seaqual, que certifica o plástico marinho reciclado”, remata. A prioridade passa por ajudar a limpar e proteger os mares e os oceanos, com produtos que não libertam microfibras sintéticas e que são uma alternativa às fraldas descartáveis, que “muitas vezes acabam no meio aquático”.

Criativas, ajustáveis e sustentáveis

O catálogo  da marca pretende transmitir a autenticidade de produtos nascidos da experimentação. Não há limites para a criatividade e “cada vez que um bebé coloca uma fralda Pico Tango é a geração futura que está a cuidar do planeta”. Este caráter imaginativo resulta em fraldas não só utilitárias, mas visualmente apelativas.

Como não podia deixar de ser, toda a coleção tem a natureza como mote, nomeadamente a beleza do ambiente marinho e a sua diversidade. “Fizemos uma colaboração com o atelier Bonitacor, da artista Ana Figueiredo, que pinta aquarelas como ninguém em Portugal”, avança, explicando que a pintora expressou a ligação com a natureza de forma “muito única”, harmónica e contrastante.

Os modelos são económicos, práticos e visualmente apelativos.

Além desta colaboração, a Pico Tango faz questão de realizar toda a produção em solo nacional, com fornecedores de matérias-primas portugueses. No caso, o material com o qual trabalham é um poliéster 100 por cento pós-consumo, que contém plástico marinho reciclado, certificado pela Seaqual: “nós transformamos este material em fraldas de pano, sacos transportadores e muda fraldas”.

“Não só contribuímos para a economia do país, como também reduzimos a nossa pegada de carbono, e conseguimos ter um controle rigoroso da qualidade em todas as fases da produção. Os materiais são meticulosamente selecionados, e os têxteis passam por um processo rigoroso de testes de durabilidade”.

Tânia reforça ainda que, cada vez mais, “os portugueses optam pela versão reutilizável na escolha das fraldas dos seus filhos” motivados por questões ecológicas ou económicas. Até este lançamento, porém, “não havia até agora uma fralda reutilizável bem ajustada ao crescimento do bebé e realmente sustentável”.

Os mitos das fraldas reutilizáveis

O ceticismo de muitas mães e pais em relação às fraldas de pano tem origem em vários mitos. Dedicar um negócio a este tipo de produtos é uma forma de desfazer, gradualmente, estes receios ao provar que é possível disponibilizar um produto de sucesso. Ao contrário da crença geral, este modelo não é mais caro do que as fraldas de uso único. “O custo de adquirir um conjunto de 24 fraldas mais custos de lavagem durante 2 anos e meio, a idade em que muitas crianças fazem o desfralde, é três vezes mais barato do que o custo de comprar fraldas descartáveis durante esse período”, explica Inês.

Por outro lado, a resistência e durabilidade destas fraldas passa pelo processo de lavagem, sendo que muitas pessoas não estão a par da simplicidade do processo. De acordo com a fundadora, basta descartar os sólidos para a sanita e colocar o artigo na máquina a 40ºC com as restantes roupas. Em certos casos, pode ser necessário aumentar a temperatura para 60ºC.

Com a progressiva desconstrução de ideias falaciosas em torno das fraldas reutilizáveis, a Pico Tango continua a crescer. Atualmente, numa fase inicial, estão a estabelecer-se no mercado português e britânico. “O nosso objetivo imediato é informar o maior número de pessoas acerca desta opção sustentável e económica”, conclui, sublinhando que a expansão a mais países da União Europeia também é uma previsão futura.

Os modelos estão disponíveis no recém-lançado site da Pico Tango. Relativamente aos preços, as fraldas individuais custam 29€, enquanto os conjuntos oscilam entre os 87€ e os 158€, dependendo da quantidade de fraldas. Carregue na galeria para descobrir alguns dos modelos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT