Lojas e marcas

Quinlana: a nova marca portuguesa de joias com ouro reciclado

Criada por uma jovem de 21 anos, aposta numa produção sustentável, aliada a peças clássicas e intemporais.
É uma marca com uma filosofia bem vincada

Ainda não tinha o diploma na mão e já Inês Sousa estava focada numa palavra: sustentabilidade. A trabalhar com uma marca de biquínis durante o estágio do curso, quis ajudar a empresa a transitar para um método de produção mais sustentável. A proposta não foi aceite mas não desperdiçada.

Terminada a licenciatura em Gestão de Marketing, tomou uma decisão. “Decidi que iria eu fazê-lo”, explica Inês Sousa à NiT. Com apenas 21 anos, agarrou na ideia da sustentabilidade e aliou-a à paixão pelas joias. Em pouco mais de seis meses criou a Quinlan, a nova marca de joalharia nacional, com um twist.

Tão ou mais importante do que as peças é, para Inês, a filosofia que inspira a etiqueta. Antes de saltar para o desenho, quis assegurar-se de que era possível criar joias portuguesas, sem desperdícios, prejuízo para o meio-ambiente e através de uma produção com responsabilidade social.

Foi precisamente essa responsabilidade que a motivou a virar-se para a joalharia, sobretudo depois de um momento marcante. “Vi um documentário sobre a exploração de ouro em países em guerra, explorei mais sobre o tema e percebi que já existe ouro e prata suficiente para que possamos reciclar e parar com a exploração”, conta.

Encontrar quem adotasse os métodos de produção pretendidos por Inês não foi fácil. Mais caros e mais trabalhosos, foram dando origem a respostas negativas, até que alguém lhe disse que sim. Foi na Ouronor — todos os parceiros são revelados e colocados em destaque no site da marca — que encontrou a solução.

“Eles têm muitos restos de matérias-primas que são desperdiçadas de outras coleções ou que sobram. Por vezes usam-se até peças antigas que são desconstruídas e reaproveitadas”, explica a jovem de 21 anos.

Todas as peças da Quinlana são feitas desta forma: com matéria-prima, essencialmente ouro e prata, reaproveitados e reciclados. Mas não só.

Inês tem apenas 21 anos

Alguns dos produtos usam madre pérola e pérolas de água doce, que são também reaproveitadas de outras joias. Todas elas recebem um novo tratamento para se tornarem mais duráveis.

Apesar das vendas terem arrancado apenas em maio, já há um best seller: o colar com um apontamento de madre pérola (168€) que é, aliás, o único de quatro que aposta neste material. Outro dos favoritos é também um colar comprido com uma pequena medalha dourada, uma peça longa que pode ser ajustada e usada ao peito ou nas costas. 

E, claro, como não podia deixar de ser, todas as embalagens em que são entregues as peças são feitas à mão com materiais reciclados. Para já, a ambição passa por estabelecer a marca e, depois quem sabe, avançar para uma loja física. Tudo, claro, sem abdicar dos princípios impostos por Inês Sousa.

Carregue na galeria para conhecer algumas das peças da Quinlana.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT