Lojas e marcas

Saiba como pode cortar nas despesas lá de casa sem perder qualidade de vida

Eletrodomésticos, energia, água, deslocações e até no banco. A Escolha do Consumidor tem algumas dicas infalíveis.
Os eletrodomésticos são um dos produtos onde é possível tomar decisões mais sustentáveis

Guerra, inflação, alterações climáticas. Podem ser palavras soltas mas, no final do dia, todas têm impacto em duas coisas: na nossa carteira e no ambiente. Embora não tenhamos o poder para mudar por completo estes cenários, é possível ajustarmos os nossos hábitos e consumo de forma a contribuir para, pelo menos, melhorar a situação.

Segundo um dos estudos mais recentes da Escolha do Consumidor, 86 por cento dos portugueses faz a respetiva separação de lixo, 80 por cento prefere comprar um produto ecológico em vez de um produto um pouco mais barato e 34 por cento utiliza técnicas para evitar o desperdício alimentar.

Enquanto algumas ações são mais básicas e fáceis de aplicar, outras implicam uma gestão maior do tempo e da vida de cada um. A pensar precisamente nos portugueses que querem melhorar os seus hábitos mas ainda não conseguiram pôr essa vontade em prática, a Escolha do Consumidor e a NiT prepararam um manual com algumas ideias e dicas simples.

Poupar energia, água e a carteira com os eletrodomésticos

Muitas vezes a poupança começa na decisão sobre o produto que vamos comprar. Com a tecnologia certa, ser sustentável é ainda mais simples e económico. Por exemplo, as máquinas de roupa são um dos maiores aliados no cuidado da casa, mas têm gastos elevados que não se podem evitar. Água e eletricidade vão ser gastos em cada lavagem, mas hoje já existem máquinas com ótimos programas que ajudam a poupar estas matérias.

Por exemplo, as máquinas Whirlpool contam com a tecnologia Water Save, que reduz mais de metade a utilização de água, ou a 6th Sense, que deteta a quantidade de roupa e calcula a quantidade de água necessária. São pequenos avanços que têm já um enorme impacto na sustentabilidade. Se a estes juntar detergentes e amaciadores mais ecológicos, melhor ainda.

Também na hora de cozinhar é importante saber gerir as quantidades. Para aqueles que não são dados ao meal preap e a listas, existem robôs de cozinha, como os da Moulinex, que orientam as refeições ao pormenor e que, com as multifunções, permitem usar a mesma energia e tempo para cozinhar muitos mais alimentos.

Uma casa sustentável não tem de ser complicada — nem na hora de vender

Chega o frio e a conta da eletricidade aumenta exponencialmente com o uso do aquecedor. Ao longo dos anos, este gasto pode passar despercebido mês a mês, mas a verdade é que no final pode ter aqui uma boa poupança. Se gosta de pensar numa lógica de investimento, avaliar o estado dos vidros e do isolamento da casa pode parecer uma grande despesa agora, mas a longo prazo irá de certeza compensar. Para quem quer ir mais longe, os painéis solares podem eventualmente até dar retorno.

Claro que existem passos mais simples que qualquer pessoa pode fazer, como trocar as lâmpadas antigas por LEDs ou colocar um redutor de caudal nas torneiras para diminuir o consumo de água. Tudo isto vai ajudar a ter uma casa mais confortável ou a valorizá-la, no caso de querer vendê-la. A Imovirtual auxilia no processo de comercialização do seu imóvel, pois é considerado o portal com maior número de imóveis e número um na satisfação dos clientes.

Transportes públicos ou carros elétricos são o melhor para o planeta

Se o mesmo veículo leva dezenas ou centenas de pessoas, é sempre uma decisão mais inteligente no que diz respeito ao gasto de combustíveis fósseis e poluição da cidade e, consequentemente, do planeta.

No entanto, para muitos portugueses, isso não é uma opção válida — seja pelos horários, escassez de transportes na zona de residência ou de trabalho. O mesmo estudo da Escolha do Consumidor mostra que 73 por cento dos portugueses utiliza a sua viatura para deslocação própria. Se esta é a única hipótese e se está na altura de comprar o primeiro carro ou trocar o antigo, é importante equacionar viaturas mais sustentáveis. E aqui entram os elétricos, que a cada dia, semana, mês, oferecem mais autonomia, tempos de carregamento mais rápidos, mais potência e tantas outras funções importantes que estão a ser melhoradas.

Na Matrizauto, por exemplo, é ainda possível descobrir o seu carro ideal, seja ele novo, seminovo ou usado. E também encontra carros mais sustentáveis na oferta da marca.

O banco que usamos também tem impacto na sustentabilidade das comunidades

Neste caso, não é o produto em si que tem influência no mundo, mas sim a política da empresa. Um bom exemplo de práticas sustentáveis é o Crédito Agrícola, que tem um papel impulsionador no desenvolvimento sustentável das comunidades locais. Além da aplicação direta realizada pelo banco, os gestores de conta podem indicar ativos onde é possível investir que sejam relevantes para a sustentabilidade do planeta e de comunidades mais carenciadas.

Este artigo foi escrito em parceria com a Escolha do Consumidor.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT