Lojas e marcas

Same: a marca de roupa infantil com peças sem género criada por uma bióloga

Inês não tem coleções diferentes para meninos e meninas. A ideia surgiu por não encontrar o que procurava para os filhos.
Os estampados são inspirados nos animais.

Inês Bento só percebeu o desafio que a distinção de género da roupa infantil representava quando foi mãe de dois rapazes. Era um desafio constante: via um vestido com flores, por exemplo, e queria uma camisola ou uns calções com o mesmo padrão para os miúdos. Porém, nunca encontrava o que idealizava.

“O Manel [9 anos] gosta de andar com as unhas pintadas, quer bonecas e faz ballet. Tem essa liberdade”, conta a NiT a cientista, de 41 anos. “O Francisco [7 anos] é muito diferente, mas também arrisca bastante. Se quiser usar umas calças prateadas, sabe que pode.”

Por isso, mesmo sem formação em moda, começou a pensar numa marca de roupa. Formada em biologia, Inês é investigadora no Instituto de Medicina Molecular (iMM), em Lisboa. Sempre se dedicou à ciência e nunca tinha colocado a opção de se dedicar a outra área, sobretudo uma tão diferente.

“Nunca pensei que tal fosse possível, porque nem sabia coser um botão. Não sabia onde comprar os tecidos”, conta. Porém, após algumas conversas com amigos, uniu-se à designer Maria Brandão que aceitou dar vida às peças que idealizava.

Em 2019, Inês lançou a primeira coleção da Same, uma marca de vestuário infantil que se distingue pelas propostas sem género e pelos estampados originais, inspirados na sua família. Nos padrões, desenhados pelo artista João Rodrigues, surgem os quatro cães que fazem parte da família: a Índi, a Branquinha, a Puja e o Sam. Os últimos meses foram dedicados a trazer várias novidades para o projeto.

O mote do projeto surgiu após o nascimento do filho mais velho, que tinha uma fenda lábio-palatina. A cientista ouviu o cirurgião dizer para não se esquecer que é uma criança igual às outras e, de facto, o conselho ficou gravado. “Em conversa com o meu marido, surgiu a palavra ‘same’, que transmite essa ideia de que somos todos iguais, sem distinção.”

Inspiradas nas imagens dos filhos a correrem pelo mato ou a treparem às árvores, criou peças divertidas, mas confortáveis. Há jardineiras, casacos, calças, camisolas e outras e até meias, que podem ser usadas por qualquer miúdo e até partilhadas entre irmãos.

Quanto à gestão de tempo, explica que dedica menos tempo do que gostaria à marca. “Tenho que ir devagar. Há dias em que nem me lembro que tenho a Same. No laboratório é tudo muito intenso, com imensos prazos para cumprir, mas é um projeto que adoro.”

Casacos para adultos e coleiras para animais

Ainda assim, a Same conta com várias novidades, entre as quais peças para adultos. Com restos de tecidos, Inês criou um casaco para oferecer à mãe, a avó Ana. O modelo não existe em stock, mas pode ser encomendado por quem quiser combinar com os mais novos.

“Nunca vi a Same como uma marca para crescidos, foi criada a pensar nos meus filhos. Entretanto, comecei a receber muitos pedidos de adultos para criar peças que também pudessem usar e decidi aceitar o desafio”, explica.

Inês colabora ainda com a Pale, a marca de uma veterinária, para criar coleiras para animais que fazem match com a coleção. E tem uma vertente solidária, com tote bags e meias, com os mesmos padrões, cujas vendas revertem para associações de animais que precisam.

Da coleção às edições especiais, todas as peças são feitas a mão por costureiras, em pequenos ateliers de Lisboa. Uma delas é mãe do melhor amigo do filho mais velho de Inês, que trabalha como modista e disse logo que queria ajudar a fazer os casacos.

“Na gaveta, tenho uma ideia que foi logo pensada, inspirada na casa dos nossos avós. É algo que me diz muito”, conclui. “Ainda não consegui ter retorno financeiro para a produzir e tem sido complicado criar uma coleção completa, mas não quero desistir.”

Todas as peças estão disponíveis no site da Same e os preços variam entre os 6€ e os 99€. Carregue na galeria para as conhecer.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT