Lojas e marcas

Sanjo junta-se ao projeto-piloto de embalagens eco reutilizáveis dos CTT

Cada caixa tem um ciclo de vida de 50 utilizações. Os vendedores de e-commerce interessados devem subscrever o serviço dos Correios de Portugal.
É uma alternativa mais sustentável.

A Sanjo foi a primeira marca a associar-se ao projeto-piloto dos CTT de utilização de embalagens reutilizáveis, que permite que as compras online sejam embaladas em sacos reutilizáveis, em alternativa às embalagens de utilização única. 

A iniciativa foi lançada a 22 de junho e já conta com a marca portuguesa de calçado desportivo como o primeiro parceiro. O objetivo, explicam os responsáveis, é reduzir a pegada carbónica associada à distribuição de vendas feitas pelos canais digitais, procurando soluções sustentáveis e incentivando a economia circular.

O resultado é a Embalagem ECO Reutilizável CTT, que está direcionada aos clientes de e-commerce e vem substituir as tradicionais caixas de cartão, sendo possível introduzi-la múltiplas vezes na rede operacional dos Correios de Portugal, com uma vida útil esperada de até 50 ciclos. 

Com 50 utilizações desta embalagem, estima-se que seja evitada a emissão de cerca de cinco quilos de CO2 para a atmosfera, o equivalente a uma viagem de automóvel de 50 quilómetros.

“Este projeto reposiciona-nos na liderança em matéria de gestão carbónica e de combate às alterações climáticas”, adianta Maria José Rebelo, diretora de sustentabilidade dos CTT. “Esta embalagem constitui um passo importante no apoio à transição para uma economia circular, com particular impacto num mercado em expansão como o do e-commerce.”

Com a subscrição deste serviço por parte dos parceiros (isto é, as empresas que vendem online), os mesmos passam a ter acesso a embalagens reutilizáveis de forma a acondicionar os seus envios. Já os compradores poderão ter a opção de usar esta nova solução de embalagens paralelamente às já existentes. 

Ao subscrever este serviço, o comprador terá que devolver a embalagem num conjunto de lojas CTT e marcos de correio selecionados ou diretamente ao distribuidor no ato da entrega da encomenda. Devolvendo a embalagem, estará a contribuir para uma distribuição mais sustentável e será recompensado com um voucher de desconto para usar numa futura compra online na loja onde fez a encomenda.

Os CTT têm, de momento, a maior frota ecológica do setor logístico em Portugal, que conta com 355 veículos alternativos. Desde 2013, a empresa tem vindo a reduzir a sua pegada carbónica: as emissões carbónicas desceram 27 por cento nos últimos sete anos.

Já a Sanjo tem vindo a tornar a sua produção mais amiga do ambiente, embora não se possa assumir como um projeto 100 por cento sustentável. A borracha das solas, por exemplo, já não é vulcanizada, mas antes colada, e feita de materiais reciclados.

Os produtos químicos foram deixados de lado e o processo de fabrico otimizado para reduzir o consumo de água e energia. A marca tem ainda o certificado Pegada de Carbono, que garante o cumprimento do plano de redução da pegada de carbono; e o Padrão Têxtil Orgânico Global, que certifica o cumprimento das normas sociais, ambientais, de saúde e segurança da empresa e a utilização de tecidos certificados para todos os mercados.

Entretanto, a Sanjo lançou a sua primeira linha de sapatilhas feitas a pensar naqueles que praticam skate. As Sanjo Sk8 Teste, reinventadas e reinterpretados dos clássicos da marca portuguesa, encontram-se disponíveis em três cores — preto, cinzento e multicolor — e encontram-se à venda no site oficial da marca pelo preço de 79,50€. 

A seguir, carregue na galeria para conhecer também os modelos da marca portuguesa LENNA, um projeto vegan, sustentável e de produção 100 por cento nacional.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT