Lojas e marcas

Sugestão NiT: a exótica boutique na Comporta onde encontra roupas com espírito indiano

A escolha de tecidos naturais, os padrões exclusivos e a delicadeza dos detalhes criam peças intemporais com muita personalidade.
A loja tem um ambiente muito característico.

A loja Traces of Me é um ponto de paragem obrigatório para quem passa pela Comporta. Não só pela oferta única de vestuário e artigos para a casa, mas também porque é impossível ficar indiferente ao espaço com uma beleza equiparável à zona onde se situa. As peças étnicas e multiculturais, com raízes indianas, estão expostas entre gigantes candeeiros de seda e mesas sustentadas por magníficos troncos de árvores.

Teresa Martins, de 63 anos, é a fundadora do negócio. Antes de se ter instalado no número 3 do Largo de São João da localidade alentejana, em 2018, já tinha espaços no Porto, em Lisboa e em Cascais. Porém, nenhuma destas localizações lhe permitiu explorar de forma tão aprofundada a paixão pelo design de interiores, área a que dedicada antes de ter enveredado pela produção têxtil.

“A Comporta permite expandir a parte dedicada à casa de uma maneira diferente e criar um ambiente de magia”, explica. “É o que faço naturalmente com a roupa, ao trabalhar com diferentes cores, texturas e pesos”.

Por esse motivo, a decoração reflete a identidade da região, com “uma mistura entre o bruto e o sofisticado”, complementado pela natureza envolvente. Quando surgiu a oportunidade de visitar o local que acolhe o negócio, ficou logo apaixonada e não hesitou em aceitar o desafio. Deu-lhe vida aos poucos, com uma visão muito vincada.

“Sempre liguei muito às coisas naturais, provavelmente devido ao meu gosto pela biologia e botânica. Incluía sempre nos trabalhos que fazia algum elemento natural”, explica Teresa, cuja formação académica passou pela biologia. E acrescenta: “Gosto de trabalhar a beleza das matérias puras, um bocado mais rústica, mas que mantém a força natural que vamos buscar à madeira e às sedas”.

De vestidos a túnicas, passando por camisas e calças, cada peça tem a sua personalidade, que se expressa através de diferentes cores e padrões. A oferta inclui ainda almofadas e candeeiros. Disponibilizando materiais de alta qualidade e bordados ou estampados exclusivos, a marca posiciona-se entre a arte e o vestuário.

“Considero a TM [Traces of Me] uma empresa de design têxtil, porque é a nossa matéria-prima base, que aplicamos a tudo. Vestimos o corpo e vestimos a casa, como costumamos dizer. Os tecidos que utilizo na roupa, também uso na decoração”.

Atualmente, a produção da Traces of Me está dividida em três mercados. A maior parte está concentrada na Índia, cuja cultura serve de inspiração à marca e onde são feitas as pinturas e estampadas manuais.

A opção por unidades fabris do país asiático em vez de fábricas portuguesas também se deve ao facto destas trabalharem com quantidades muito grandes para uma marca de nicho. Uma vez que a criadora também trabalha no Nepal, as malhas, lãs e cachemiras são produzidas lá.

A origem da marca

Embora tenha enveredado pela área das ciências, paralelamente, Teresa desenvolveu uma paixão pelas artes. Durante o doutoramento decidiu mudar de rumo. Não começou na área do têxtil, mas encontrou o seu propósito na decoração de interiores: “Nunca fiz um curso de design ou de moda. Sempre gostei de desenhar as minhas roupas, mas nunca pensei que seguiria por essa área”.

A moda surgiu na sua vida através de uma brincadeira. Trabalhava com um fornecedor têxtil indiano, que vinha a Portugal e mostrava os seus tecidos. Teresa explica que “a primeira reação foi pensar mais em roupa do que em decoração”, ao contrário do que costumava acontecer.

Algum tempo depois, foi convidada para os visitar na Índia, em 2003. Aceitou o convite e ficou encantada com um mundo desconhecido. “Desde a produção ao desenvolvimento, dos tingimentos às estampagens e embelezamentos, combinava um pouco de tudo o que eu tinha vindo a aprender [na minha área]”.

A empreendedora confessa que nunca mais deixou de ir ao país, e a sua vontade de começar a produzir peças de roupa foi crescendo. Com um “espectro de materiais que preencheu a saciedade de criação e de execução”, decidiu investir neste novo ofício. Abriu a primeira loja em 2004, num armazém que funcionava em simultâneo com uma casa de chá, em Sintra.

“Na altura, nem tinha nome para a marca e não sabia o que havia de fazer”, adianta. Eventualmente, decidiu apelidar o negócio de Collection até que, há cerca de três anos, optou por mudar de nome. Depois de aberturas em três cidades diferentes, Lisboa, Porto e Cascais, concordaram que a expressão Traces of Me — nome inspirado na empresa onde trabalhava, Traços de Mim — refletia a essência do projeto.

Mais tarde, surgiu a loja na Comporta, que se tem vindo a consolidar como um marco na região. Pode visitar o espaço no número 3 do Largo de São João, na Península de Tróia, ou visitar o site da marca.

Carregue na galeria para conhecer algumas das propostas que pode encontrar por lá. Os preços variam entre os 87€ e os 598€.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT