Lojas e marcas

Toppo: a nova marca nacional com peças inspiradas no hip-hop dos anos 90

As peças destacam-se pelo desenho simples e pelo corte oversized. Foram tingidas várias vezes até atingirem o tom certo.
A primeira coleção tem 4 peças.

Tomé Nunes nasceu 2001. Apesar de pertencer à geração Z, o jovem cresceu a ouvir nomes do rap dos anos 90, como J Dilla e MF Doom. “A música sempre me deu força no dia a dia e até hoje é difícil explicar o impacto destes artistas”, começa por contar à NiT.

Mais do que a sonoridade, o estudante de marketing era influenciado pela forma como os músicos se vestiam. Identificava-se com o estilo urbano, oversized e descontraído que usavam durante os concertos e que via nas capas dos discos.

“Quis trazer um pouco do que os artistas fazem para uma marca. No fundo, é trabalhar a partir de um feeling”, explica. A Toppo, lançada em fevereiro, concretiza o desejo de ampliar a oferta destinada aos apreciadores do mundo do hip-hop e da cultura urbana.

O primeiro drop da insígnia inclui três peças que representam um pouco deste universo: as sweats, as T-shirts os bucket hats. No entanto, explica, não quer criar barreiras à criatividade e limitar-se a um nicho. “Quem compra é quem toma a decisão.”

O catálogo distingue-se pelo design minimalista, com materiais pesados — mais precisamente o algodão — e “máxima atenção aos detalhes”. As cores, por exemplo, foram misturados até chegar aos tons certos que desejava, um azul-escuro clássico e um verde que “tem potencial para ser tendência”.

Relativamente ao corte, o fundador da marca idealizou um fit oversized que representa o estilo predominante nos anos 90. Apesar de ter aderido ao revivalismo e à nostalgia da década, Tomé garante que o “objetivo era criar algo novo”.

“Existem várias marcas que representam bem esta cultura, mas cada uma tem uma essência diferente”, realça. “Inspiro-me nas pessoas e naquilo que se faz em Portugal, mas quero traçar o meu caminho.”

O objetivo, como indica o nome da marca, é atingir o topo. “Sempre pensei que poderia chegar longe, então trouxe isso para identificar a marca, mas acrescentei uma letra para ser diferente. Quero gravar a minha assinatura no mundo.”

Todo o trabalho da marca é feito por Tomé, que demorou cerca de um ano a materializar a ideia. Feitos os desenhos, trabalha com uma confeção no norte do País “onde se produzem peças com qualidade”.

Começou por lançar uma pequena coleção, mas a etiqueta vai continuar a crescer. “Se fizer sentido lançar só uma sweat ou dois chapéus, vou fazê-lo e vendo ao longo do caminho. Não há uma regra”, conclui.

Todas as peças estão disponíveis no site da Toppo e os preços variam entre os 29 e os 55€.

Carregue na galeria para as conhecer.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT