Lojas e marcas

Trash Panda: novo estúdio de tatuagens em Lisboa reúne artistas de todo o mundo

O espaço em Alcântara recebe convidados internacionais todos os meses. Tem um ambiente clean e descontraído.
A equipa do Trash Panda.

Sempre que viaja para um novo país, Marcos Morce procura o melhor local para fazer uma tatuagem. O artista, de 37 anos, tem várias recordações permanentes dos destinos por onde passou: gravou a pele em países como Japão, Espanha ou Argentina, entre outros.

O conceito “souvenir tattoo” é uma paixão do brasileiro e está na origem de um novo estúdio que reúne artistas de todo o mundo. Chama-se Trash Panda, abriu em Alcântara no início de março e, além dos artistas residentes, recebe convidados internacionais todos os meses. O único critério é que tenham um estilo singular.

“Não é preciso viajar para ter uma tatuagem única ou ter acesso a tatuadores de fora”, explica o fundador à NiT. “Apesar de não ser um desenho tipicamente local, é uma mistura do ambiente onde trabalhamos e do background da pessoa que nos visita.”

O interesse por esta arte surgiu após 14 anos a trabalhar como designer. Em 2017, mudou-se para Portugal com a sua esposa, Carolina Teixeira, para frequentar um mestrado em Lisboa. Quando percebeu que gostava de se concentrar apenas na ilustração decidiu explorar um caminho diferente.

Após tatuar alguns amigos, Marcos decidiu tornar-se profissional. “Fui ganhando experiência nos vários estúdios por onde passei e descobri o meu estilo. Embora tenha evoluído um pouco em relação à ilustração, o meu traço característico permanece.”

O brasileiro é especializado em blackwork (desenhos de aparência robusta com tinta preta) e no estilo tradicional japonês. O espaço conta ainda com artistas residentes como Fabu, que se dedica a tatuagens de anime, e Talis, conhecida pelo toque artístico nas tatuagens de traço fino.

O Trash Panda é “pouco convencional” e muito focado na experiência do cliente, sublinha. “Quando era mais jovem entrava nos estúdios mais antigos para tatuar e o ambiente era muito escuro e pesado. Imaginamos logo espaços com arte colada nas paredes.”

O estúdio destaca-se pela decoração clean e moderna. É um canto bastante descontraído e aberto, com quadros nas paredes, muitas plantas e apontamentos amarelos, como as luzes LED.

“Gostamos sempre de reservar algum tempo para conversar com o cliente, ouvir a ideia e fazer algo único. No final, sai com algo criado consoante o seu gosto”, acrescenta. “Não é um estúdio de rua, então não temos pessoas a entrar por walk-in. Só por agendamento.”

O nome surgiu após uma estadia nos Estados Unidos. “Na zona onde estávamos havia muitos guaxinins, que são chamados trash pandas, porque estão sempre no meio do lixo. Quando começámos a pensar no que iríamos escolher, concluímos que era algo que podia chamar à atenção. Pensámos ‘por que não’?”

“Estamos abertos a receber tatuadores de fora da Europa que fazem trabalhos muito específicos e artísticos”, destaca. “Como conhecemos muitos tatuadores no Brasil, estamos sempre a trazer artistas convidados.”

Marcos pretende continuar a convidar pessoas que conhece nas suas viagens pelo mundo, dando-lhes oportunidade de tatuar portugueses. O objetivo é acolher alguém de um país diferente todos os meses.

As marcações podem ser feitas online e os preços das tatuagens começam nos 40€. Carregue na galeria para ver mais imagens do espaço.

 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Travessa Teixeira Júnior 2A
    1300-501 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Segunda-feira a sábado das 10h às 19h
  • Domingo das 11h às 18h

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT