Moda

10 peças que pode juntar ao roupeiro se estiver apaixonada por “Bridgerton”

A loucura pela série da Netflix fez emergir uma nova tendência. Chama-se Regencycore e está a tomar de assalto a indústria da moda.
O corte império está no centro de tudo.

Foi uma das últimas estreias a chegar à Netflix em 2020 e rapidamente provou ser mais um sucesso estrondoso da plataforma. No dia de Natal, a estreia de “Bridgerton” conquistou milhões de espetadores por todo o mundo, desejosos de devorar os oito episódios descobrir se, afinal, a heroína Daphne Bridgerton (Phoebe Dynevor) casaria ou não com o garanhão Simon Basset (Regé-Jean Page).

Há muitas coisas que resultam nesta série ficcional baseada nos romances da autora norte-americana Julia Quinn (pseudónimo de Julie Cotler). Começa tudo com o ritmo de comédia romântica, os cenários de cortar a respiração e o constante mistério no ar deixado pelas intervenções de uma narradora que quer destabilizar a ordem da alta sociedade — a fofoqueira Lady Whistledown (narrada pela voz da maravilhosa Julie Andrews). Mas há outro elemento fundamental que está criar burburinho na indústria da moda: o incrível guarda-roupa, desenhado pela figurinista Ellen Mirojnick.

Segundo a “Vogue”, o elenco da série foi vestido por um conjunto de mais de 7,500 fatos que juntam a estética de inícios do século XIX à paleta de cores da Dior nos anos 50. É uma viagem à era de Jane Austen mas adaptada à modernidade e fez nascer uma nova febre, aquilo que a publicação batizou como a tendência do Regencycore. Mas, afinal, o que é que isto significa?

bridgerton
Daphne Bridgerton.

Nos últimos anos, vimos emergir primeiro o normcore — uma estética unissexo que se caracteriza pelas roupas com um aspeto normal, numa rejeição à extravagância e às peças de luxo. Depois, veio o cottagecore, uma adaptação romântica desta simplicidade às peças românticas do campo. Pense nos vestidos floridos, folhos e golas babydoll de “Uma Casa na Pradaria”. Agora, esqueça isso tudo e dê as boas-vindas à estética da regência inglesa dos anos 1811 a 1820.

Foi o período transitório entre a era georgiana e a era vitoriana e o primeiro passo de uma sociedade rural que se caminhava em direção a um estilo de vida mais urbano. Toda a existência da alta sociedade girava em torno dos bailes e da criação de uma imagem pública que pudesse promover um bom casamento. Para as mulheres da época, então, casar e ter filhos eram mesmo as únicas prioridades que lhes eram exigidas — e vinham carregadas de um peso incalculável.

O Regencycore define-se por uma preferência pelos vestidos de corte império, com um decote a direito e um ajuste por debaixo do peito, mas também pela joalharia marcada e carregada de pérolas ou diamantes; as luvas, os ornamentos com penas, os corpetes e os tecidos floridos e românticos.

Se também se apaixonou pelo guarda-roupa da série, há muitas peças à venda nas fast fashion que a podem ajudar a trazer esta estética para 2021 (sem parecer que se mascarou para uma festa de carnaval). A seguir, carregue na galeria para conhecer algumas sugestões.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT