Moda

A combinação de roupa improvável que nem todas têm coragem de usar — mas é um sucesso

A tendência segue o estilo eclético e arrojado que está a marcar a estação. Basta saber como tirar partido das duas peças.
Os polos estão de volta.

Numa altura em que o ténis era um desporto de elite, um jovem assumia-se como uma das estrelas mais promissoras. Chamava-se René Lacoste e, na década de 1920, ganhou o apelido de Le Crocodile pelos seus movimentos ágeis e determinação feroz. Mas ele não era apenas um mestre no desporto: era um apaixonado por moda com uma visão rebelde face ao vestuário desportivo.

Cansado de jogar com uma camisa branca de manga comprida, que considerava rígido e desconfortável, desenhou o polo. Era uma T-shirt em algodão pique, de manga curta, mas que mantinha os colarinhos e alguns botões. O visual (com um crocodilo como emblema) tornou-se rapidamente uma sensação — primeiro entre os homens, nos courts, e mais tarde entre as mulheres.

As amantes do vintage continuam a encontrar nesta peça a forma mais confortável de complementar os outfits. A fórmula repete-se: vestem-na com calças chino em cores neutras, um par de jeans bem ajustado ou calções, durante os meses mais quentes. Porém, são cada vez mais as que preferem conjugá-los com propostas mais femininas.

No mundo da moda, não é preciso olhar para uma bola de cristal quando temos as redes sociais. A diferença, pelo menos no que a previsões diz respeito, é quase inexistente. E, entre todas as fórmulas que têm conquistado um lugar cativo nas preferências das mulheres, há um que se tem destacado. A combinação entre um polo e uma saia assume-se como a aposta de eleição para os próximos meses.

Esta combinação simples, mas eficaz, contou com aparições nas coleções de marcas como a The Row, a Talia Byre, a Miu Miu e Dries Van Noten. No caso do designer belga, por exemplo, arriscou ao conjugar uma camisola oversized às riscas com uma saia de malha e saltos altos.

A campanha de Talia Byre e o desfile de Dries Van Noten.

Um dos motivos do sucesso é a forma como encapsula um estilo hi-lo — que mistura os termos high e low —, ou seja, uma combinação pouco habitual entre dois estilos, a priori, antagónicos.  É usada para caracterizar um look que junta peças que aparentam ter um custo mais elevado com artigos mais básicos e despojados. É um sucesso por reconhecer mais valor ao estilo do que ao status.

Ao contrário do luxo discreto que marcou 2023, este ano é marcado por conjuntos mais ecléticos. Golas colegiais e padrões às riscas são combinados com saias-lápis, como as que víamos nos anos 60, ou num estilo mais preppy, isto é, inspiradas nos looks que se viam nas instituições de ensino de elite, mais precisamente nos Estados Unidos.

Até pode soar estranho, mas não há grandes regras para conseguir este visual. No entanto, um dos truques mais usados passa pela combinação de uma parte de cima sobredimensionada (muitos deles, vintage ou em segunda mão) com uma parte de baixo mais elegante. Os modelos plissados, sejam eles mini ou midi, estão no topo da lista.

Dependendo do comprimento e do corte da saia, a mistura faz parte do vasto leque de truques que podem ajudar a alongar a silhueta. Isto acontece sobretudo se a saia for usada pela altura dos joelhos ou um pouco acima ou é combinada com sapatos de salto alto, criando uma silhueta mais esguia e elegante.

A combinação versátil pode ainda ser adotada em várias ocasiões, desde o escritório a eventos sociais. O polo dá uma aparência mais casual e desportiva, enquanto a parte de baixo traz o elemento mais sofisticado e feminino que refletem um pouco da abordagem contemporânea à moda.

“Se a senhora [Miuccia] Prada diz que o polo está novamente na moda, quem somos nós para discordar?”, afirmou a jornalista Ellie Pithers num relatório de tendências da “Vogue”. E, ao que parece, não volta sozinho. Por isso o melhor é ir ao armário, procure os modelos que parecem não resultar à primeira vista e fazer magia. Palavra de Prada.

Carregue na galeria para conhecer a seleção da NiT de polos nos quais pode apostar nos próximos meses.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT