Moda

A polémica continua: afinal, Kim Kardashian não estragou o vestido de Marilyn Monroe

A Ripley’s Believe It or Not!, empresa que detém a peça, garante que as acusações são falsas. A peça já teria alguns estragos.
Foram acusações falsas.

Kim Kardashian voltou a dar que falar depois de ter aparecido na última edição da Met Gala, a 2 de maio, com um dos vestidos mais icónicos da atriz Marilyn Monroe. O assunto não ficou esquecido e, a 13 de junho, surgiram novas imagens que mostravam que a peça histórica estava danificada.

Parece que, afinal, as acusações feitas por Scott Fortner, colecionador de itens de Marylin Monroe, não podiam estar mais longe da verdade. A Ripley’s Believe It or Not!, organização que detém o vestido da atriz, negou os alegados estrados que Kim terá causado à peça.

No comunicado divulgado na quinta-feira, 16 de junho, a organização garantiu que a socialite “não danificou, de forma alguma, a peça”. Os rasgões na parte de trás, as lantejoulas e cristais em falta já existiam no vestido, criado por Bob Mackie, quando foi adquirido pela Ripley’s Believe It or Not! num leilão em 2016.

A peça em questão foi usada pela atriz num espetáculo em que cantou os parabéns ao antigo presidente dos Estados Unido, John F. Kennedy, em 1962. O vestido entrou para história por destacar a sensualidade de Marilyn Monroe numa altura em que corriam rumores de que ambos mantinham uma relação extra-conjugal — o look deu ainda mais força aos boatos.

Kim Kardashian foi muito criticada pela forma como escolheu apresentar-se no famoso evento de caridade. A socialite e empresária admitiu que perdeu cerca de oito quilos para caber dentro do vestido e foi alvo de muitas críticas após surgir com a peça. 

Carregue na galeria e descubra outros dos extravagantes looks usados na Met Gala deste ano.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT