Moda

Como a Chanel criou os maravilhosos looks da Princesa Diana em “Spencer”

A protagonista, Kristen Stewart, tem vontade de chorar sempre que vê o cartaz do filme onde usa o icónico vestido de tule.
O filme estreou em Portugal a 11 de novembro.

Depois de, em 2016, se debruçar sobre as lutas privadas de Jaqueline Kennedy Onassis no filme “Jackie”, o realizador Pablo Larraín resolveu focar as suas atenções na Princesa Diana. O seu mais recente trabalho, “Spencer”, estreou nas salas de cinema portuguesas na passada quinta-feira, 11 de novembro, e mostra uma ficcionalização sobre a mulher que marcou para sempre a família real britânica.

A história passa-se ao longo de três noites, durante os festejos de Natal da Rainha Isabel II na casa de Sandringham, em Norfolk, Inglaterra. Larraín descreve o filme como uma “fábula” que explora o lado negro da monarquia — apesar de enfrentar uma batalha contra um distúrbio alimentar, Diana está sempre fabulosa e rodeada de luxo.

Para criar o guarda-roupa de “Spencer”, Kristen Stewart, que retrata a princesa, trabalhou de perto com a figurinista Jacqueline Durran e, juntas, contaram com a ajuda da Chanel, marca de que a atriz é embaixadora desde 2013.

“Cada passo do caminho foi uma colaboração total”, conta à “Vogue” Stewart. “Estávamos todos juntos nisto: eu, o Pablo, a Jacqueline e a Chanel. Foi muito íntimo.” A maison francesa abriu os seus arquivos à produção, emprestando e recriando peças vintage que foram usadas pela atriz no filme.

Isto permitiu a Durran e a Guy Hendrix Dyas, diretor de produção, elevar a fasquia do luxo. “Em termos de estilo e glamour, esta colaboração deu ao filme algo que não teríamos conseguido obter de outra forma. As peças da Chanel adicionaram aquela aura que a Diana tinha como princesa”, explica a figurinista.

kristen stewart
Kristen Stewart está a ser elogiada pelo seu papel como Diana Spencer.

Durran analisou minuciosamente as fotografias da monarca tiradas entre 1988 e 1992. “Queria encontrar a lógica por detrás das suas escolhas e das peças-chave que usava durante esse período.” Perceber o estilo característico de Diana era crucial, de modo a definir um contraste entre as roupas formais que usava durante a sua vida oficial e a forma mais casual como se apresentava quando podia ser ela própria. “Para contar esta história, tínhamos de ver uma verdadeira diferença entre essas roupas.”

A Chanel ocupava um lugar especial no guarda-roupa da princesa, que era fã dos fatos clássicos e das carteiras acolchoadas. Para Kristen Stewart, as seleções dos looks eram evocativas. “Em certas fotografias, parece que foi outra pessoa que a vestiu. Mesmo que o conjunto seja bonito, parece estar prisioneira dele. Enquanto fazia a minha pesquisa, reparei que sempre que a Diana usava Chanel, parecia ela própria”, reflete a atriz.

“Quando se vê o filme, todos os outfits da Chanel são usados quando a Diana precisa de ajuda”, continua. “Se a cena fosse difícil ou se ela se sentisse ameaçada, escolhíamos vesti-la de Chanel para lhe dar um bocadinho de suporte.”

Infelizmente para o guarda-roupa do filme, muitos dos momentos em que Diana escolheu vestir a etiqueta de luxo passaram-se depois de se retirar da família real — e “Spencer” passa-se durante um período em que tudo o que vestia era controlado.

“Havia muitas restrições a considerar”, explica Durran. O dress code real contém regras que vão desde o comprimento das bainhas às cores dos vernizes — e não podem ser ignoradas. Ainda assim, quando escolheu o vestido de maior destaque do filme, a figurinista não podia mudá-lo.

kristen stewart
O vestido branco com pormenores dourados foi apresentado para a coleção primavera/verão de 1988 da Chanel.

“Inicialmente, preocupava-me que teríamos de adicionar mangas e esconder os braços por causa dos protocolos”, recordou à “Vogue”. A peça caicai era do desfile de 1988 da Chanel e ficou tão bem a Kristen Stewart que não fizeram alterações nenhumas e acabaram por incorporá-lo numa parte maior do filme do que o que estava inicialmente previsto.

Adornado com folhos plissados de tule e um cinto de cetim, o vestido original estava nos arquivos há mais de 30 anos e era muito frágil para ser usado no filme. “Era demasiado precioso — nem podíamos levá-lo para fora das instalações”, explica a responsável pelo guarda-roupa. “Felizmente, a Chanel autorizou-me a replicar a peça por inteiro”.

Foram precisas 1.034 horas de trabalho, 700 delas dedicadas aos bordados, para que cinco costureiras da marca de luxo francesa replicassem o vestido. “No final, a única diferença foi que a nova versão assentou ainda melhor a Kristen do que a primeira.”

Não foi a única peça recriada para o filme, mas está em destaque nas cenas finais e até no cartaz oficial. Stewart diz que o modelo reflete a existência “infeliz e privilegiada” de Diana. “Ver alguém no chão de uma casa de banho neste vestido é verdadeiramente desolador”, comenta. “Normalmente não tenho uma reação emocional aos cartazes dos meus filmes, mas sempre que vejo o de ‘Spencer’ tenho vontade de chorar.”

Carregue na galeria para conhecer alguns dos looks mais marcantes de “Spencer”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT