Moda

O vestido de noiva de Bárbara Elias foi feito para ser usado toda a vida

A ex-modelo e empresária casou na passada sexta-feira com José Germano de Sousa. A cerimónia aconteceu no Coconuts, em Cascais.
Créditos: Ricardo Catarro.

Foi durante uma viagem à Costa Amalfitana (Itália), em junho deste ano, que José Germano de Sousa pediu Bárbara Elias em casamento, depois de dois anos de namoro. Um noivado, brinca a empresária, “muito curto” — o par casou-se quatro meses depois. A cerimónia aconteceu na passada sexta-feira, 15 de outubro, em Cascais.

O espaço escolhido foi o Coconuts, a icónica discoteca da vila com uma varanda sobre o mar. “Eu sou de cá e ele também. Tinha mesmo de ser em Cascais”, conta a ex-modelo à NiT sobre a escolha da localização. 

A forma prática que Bárbara tem de encarar a vida esteve presente em todo o processo de planeamento da boda. Quando chegou a hora de comprar o vestido, começou por visitar uma loja de pronto-a-vestir à espera de encontrar exatamente aquilo que queria. A experiência “não correu bem”, relembra.

Virou-se então para a amiga Joana Montez, fundadora do espaço com o mesmo nome, também ele em Cascais. O atelier é conhecido por desenhar vestidos de noiva com uma estética boémia. “É uma artista espetacular”, elogia Bárbara.

Joana apresentou-lhe três opções. Bárbara escolheu uma e pediu-lhe alguns acertos. Como o casamento ia acontecer em outubro, a preocupação da noiva era encontrar uma opção que pudesse adaptar-se ao tempo imprevisível. “Foi ao ar livre e havia sempre a possibilidade de estar frio ou a chover, por isso optei por uma coisa com mangas”, conta.

No entanto, por ser calorenta, resolveu que a melhor solução seria criar um vestido simples e acrescentar-lhe uma parte de cima com mangas de renda, abaloadas, que pudessem ser retiradas para dançar a noite toda. “Por dentro tinha um vestido branco, acetinado, mais simples e com um corte a direito”, descreve. 

A peça foi criada de forma a que pudesse vir a ser usada em momentos menos formais. “Chateia-me um bocado aquela ideia de vestir um vestido e usar acessórios e nunca mais o voltar a fazer na vida. A minha ideia foi sempre escolher peças que pudesse usar posteriormente. Ficou um simples vestido branco que, com uns acessórios giros, dá perfeitamente para outras ocasiões”, afirma.

bárbara elias
Fonte: IG de Liliana Campos.

A mesma lógica foi também aplicada à escolha dos sapatos, umas sandálias da Gloria Ortiz cor de champanhe, compensadas à frente, clássicas e intemporais, que encontrou no El Corte Inglés. O penteado foi um apanhado simples: “Porque podia estar vento e ter o cabelo a voar para a cara. Tenho um cabelo fininho e, qualquer penteado que pudesse fazer ia desfazer-se em 10 segundos. Um apanhado era sempre mais seguro.”

A maquilhagem discreta foi preparada por Fati Jardim, que trabalha há muitos anos com a SIC e que Bárbara conhecia de outros projetos. Já os brincos, a única peça de joalharia que usou, foram emprestados pela mãe.

À NiT, a ex-modelo confessa que não gosta do cheiro de flores em geral, por isso optou por visitar o Dona Amélia Flower Bar, loja fundada pela filha de uma amiga, que lhe criou um bouquet de flores secas, sem aroma, em tons de champanhe, branco, azul turquesa e azul petróleo. “Dura anos e fica para guardar como recordação”, explica.

O noivo Zé, como lhe chama, era uma pessoa que já conhecia há vários anos, apenas de vista. “Tínhamos amigos em comum mas nunca fomos amigos. Seguíamo-nos mutuamente no Facebook e no Instagram”. Através desta última rede social, combinaram casualmente, há cerca de dois anos, encontrarem-se na praia do Guincho. Seguiu-se uma ida ao cinema e as coisas foram-se desenrolando naturalmente.

O tema do casamento foi surgindo em conversas. “Casar era uma coisa sobre a qual já tínhamos falado.” O noivado foi curto por isso mesmo. “Já estamos velhos, não podemos esperar muito tempo”, brinca a empresária.

Bárbara Elias está há 16 anos à frente da Master Promo, a empresa de hospedeiras e hospedeiros qualificados para eventos nacionais e internacionais, além de casamentos ou outras cerimónias. Separou-se em 2018 de Nuno Graciano, com quem viveu durante 14 anos e com quem teve duas filhas. José Germano de Sousa é filho do médico Germano de Sousa e um dos donos dos laboratórios de análises clínicas com o mesmo nome, que estão presentes um pouco por todo o País. 

Carregue na galeria para ver outros momentos da cerimónia de união de Bárbara e José. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT