Moda

Diorivato usou um look feito de açúcar que parou a ModaLisboa. “Estava a derreter”

As pessoas só reconheciam o material quando se aproximavam. A peça foi criada em duas semanas por um designer nacional.
Destacou-se entre muitos visitantes.

Quando descobriu o tema da mais recente edição da ModaLisboa, “À La Carte”, Diorivato — nome artístico de Thalys Peterson, de 26 anos — soube logo o que ia usar. Umas semanas antes, o modelo tinha protagonizado uma campanha onde só usou peças feitas com açúcar. O mote do evento, que convidava os visitantes a explorarem um lado mais guloso, levou Diorivato a escolher um daqueles modelos doces.

No primeiro dia da semana da moda, que aconteceu esta sexta-feira, 6 de outubro, o look do jovem brasileiro foi um dos que mais atraíram as lentes dos fotógrafos no Pátio da Galé, em Lisboa. E não só. Muitas outras pessoas, curiosas, aproximavam-se para elogiar ou fazer perguntas sobre o visual — mesmo sem nada saberem o material utilizado.

“Toda a gente me dizia que era muito bonito, diferente e colorido. Quando se aproximavam, viam que estava a derreter devido ao calor”, conta à NiT. “Percebiam que era açúcar porque começou a ficar todo pegajoso. E quando explicava o conceito, ficavam encantadas.”

O autor da peça, que lhe ofereceu o look no final da sessão, é o designer português Filipe Blanquet. É conhecido pelos vestidos volumosos e pouco convencionais, mas foi um colete laranja — onde pequenas escamas em forma de suspiro contrastam com transparências — que chamou à atenção do criativo.

Doce e provocador ao mesmo tempo.

Diorivato mudou-se de São Paulo para Lisboa, em 2021, para seguir o sonho de se tornar estilista. Ao mesmo tempo, procurava uma boa qualidade de vida e de ensino. Atualmente, estuda design de moda na ETIC, em Lisboa, e está sempre atento ao que é feito em Portugal. Conheceu Filipe precisamente devido a esse interesse.

“Já tinha visto alguns trabalhos dele no Instagram e falámos sobre fazer algo juntos”, explica, sobre a sessão fotográfica para a revista “Delusions”. “O tema era a sensualidade. Como o doce pode ser sensual? Todas as fotos foram tiradas na praia, num ambiente divertido, para brincar com o açúcar.”

O único artigo novo que o jovem acrescentou foi um par de calças de alfaiataria, para dar destaque às criações de Filipe Blanquet. “A minha ideia inicial era vestir uns collants, com calções e botas altas, mas não funcionou”, explica. Os óculos de sol que completaram o outfit escondiam-lhe os olhos, mas a maquilhagem vermelha também foi um pormenor pensado.

“É um look muito trabalhado, com muitos detalhes. Podiam ser missangas, mas é ele mesmo que os faz, não são doces de compra”, frisa o jovem, acrescentando que a escolha reflete na perfeição o seu gosto pessoal. “É a terceira vez em que venho [à ModaLisboa] e trago sempre artistas locais.”

Feito em duas semanas, o look inclui cerca de 200 aplicações em forma de suspiro. Já os óculos retangulares, na mesma cor e material, têm aplicações que pretendem imitar pastilha elástica. Ambas as peças eram da mesma coleção.

Como foi criado?

O processo é menos complicado do que parece. Existe uma técnica, chamada pastilhagem, em que se faz uma pasta de açúcar (fondant) muito parecida com a massa com que se cobre os bolos — e seca bastante rápido, tornando-a um material ideal para usar neste tipo de experiências.

Feita esta pasta, o passo seguinte é estendê-la com um rolo e cortá-la em pequenas peças, que se assemelham a escamas ou até pérolas, e são pintadas com corantes. Estas pequenas aplicações cobrem o tecido e são o detalhe que dá o movimento às roupas.

Ao longo do tempo, Filipe Blanquet  dedicou-se a aperfeiçoar a técnica para que deixasse de ser uma brincadeira. “Quando fiz os primeiros vestidos, não tinha atenção aos pormenores”, contou o designer à NiT. Já não cria apenas escamas, mas tem arriscado criar outros pormenores, como estes ornamentos com suspiros.

Outra das novas técnicas que está a explorar é a forma de aplicar o corante, apostando mais nas cores: “Em vez de pintar uniformemente, pintei de uma forma muito semelhante à técnica da pintura em aguarela, sobrepondo manchas e criando sombras”, explica. Cada peça demora entre três a quatro semanas até estar concluída.

Aproveite e leia o artigo da NiT sobre Filipe Blanquet, o estilista que começou a trabalhar como cozinheiro — e juntou a paixão pela pastelaria ao gosto pela moda.

A seguir, carregue na galeria para ver mais imagens do visual de Diorivato na ModaLisboa.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT