Moda

Há uma nova plataforma que só vende swimwear de marcas portuguesas

A The Sea Collective foi lançada em maio de 2020 para promover o que de melhor se faz no nosso mercado.
No Instagram, também promovem várias marcas nacionais.

Já existe uma solução que a vai ajudar a procurar os melhores modelos de biquínis e fatos de banho de algumas das marcas mais populares feitas em Portugal. Chama-se The Sea Collective e foi oficialmente lançada em maio.

Mais do que uma plataforma, o projeto lançado por Francisco Campos, de 28 anos, e Alexandra Fula, de 32, pretende ser uma “comunidade” no mundo do swimwear, onde são listados produtos de diferentes marcas nacionais focadas neste segmento.

“Ao comprar, a encomenda é passada diretamente às marcas para que seja enviada à cliente, e naturalmente ganhamos uma comissão com as vendas”, explica à NiT Francisco. Apesar de o foco ser principalmente o mercado português, os fundadores da The Sea Collective pretendem também ajudar as marcas nacionais a chegar lá fora, através de campanhas de marketing que já direcionam para países como Espanha e o Reino Unido.

A ideia é conjugar num único sítio várias empresas que “muitas vezes têm dificuldade em dar-se a conhecer ao público, porque são muitas a competir pela mesma atenção, e por outro lado temos as clientes que acabam por só conhecer uma fração das marcas que existem, e ficam limitadas na sua possibilidade de escolha”, revela o sócio.

Através da plataforma, os clientes podem conhecer opções que não sabiam que estavam disponíveis no mercado e as marcas acabam por ganhar visibilidade entre o seu público-alvo. “Temos uma grande ambição de ser mais do que um marketplace e de, no futuro, ajudar a indústria como um todo, desde os produtores, às marcas, às modelos e fotógrafos, e também de ajudar a empurrar a indústria para ser ainda mais sustentável“, continua.

My Gojii, Oiôba, Pele & Sal e Gecko Swimwear são as marcas que já representam, mas os fundadores querem ainda a fechar parcerias com outras marcas que se encaixam no projeto. “O timing não foi o melhor com a pandemia, as marcas sentem que não podem divergir muito os seus esforços, e muitas não conseguiram produzir uma coleção para este ano, mas até mesmo essas queremos ajudar a vender coleções anteriores, se for o caso”, revela Francisco.

Depois de se formar em Engenharia e Gestão Industrial, trabalhou vários anos em Operações na Farfetch e ficou depois responsável por parcerias e logística na Overcube, onde conheceu Alexandra Fula, formada em Comunicação e Media com um mestrado em Marketing que era gestora de redes sociais na empresa.

A experiência ajudou-os a lançarem-se neste projeto. Todos os modelos disponíveis de marcas portuguesas já podem ser consultados na plataforma The Sea Collective, que tem várias propostas de coleções passadas em saldos — vai encontrar preços a partir dos 12€.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT