Moda

A herdeira da Givenchy usou um vestido de noiva de alta costura da sua família

Gabriella e Ugo adiaram várias vezes a cerimónia por causa da pandemia e deram finalmente o nó em agosto deste ano.
Com o noivo, Ugo de Mallmann.

Gabriella Taffin de Givenchy e Ugo de Mallmann conheceram-se numa festa em Nova Iorque. Ele estava de passagem e ela tinha acabado de se mudar para a cidade nesse mesmo dia. Aliás, até foi por isso que quase não saiu de casa — talvez fosse melhor ficar a desfazer as malas. “Felizmente, adiei as responsabilidades e fui à festa, onde o Ugo e eu passámos a noite inteira a falar”, conta à “Vogue“. “Quando me fui embora, não tinha a certeza se alguma vez nos íamos ver outra vez.”

Mantiveram-se em contacto e começaram a namorar. Eventualmente, ele acabou por organizar uma escapadinha de fim de semana. “Cheguei ao aeroporto sem fazer ideia de onde íamos e levei na mala uma combinação interessante de óculos de ski e biquínis”, recorda a herdeira da casa de luxo francesa, Givenchy. 

“Assim que chegámos à porta de embarque, percebi que íamos para a República Dominicana e fiquei muito entusiasmada, porque nunca tinha lá estado.” Foi logo na primeira noite da viagem que Ugo a pediu em casamento.

Gabriella Taffin de Givenchy estás prestes a lançar a sua primeira coleção de joalharia. Licenciou-se em gemologia durante o confinamento e o casamento aconteceu este verão. Ugo de Mallmann é comerciante de petróleo. 

Depois de ficarem noivos, tiveram de adiar a data do casamento duas vezes por causa da pandemia. Inicialmente estava marcado para 2020, depois passou para junho de 2021. A cerimónia acabou por acontecer em agosto deste ano na ilha italiana de Capri. “Apesar de não ter sido o casamento que imaginámos inicialmente, foi mesmo especial ter lá apenas os nossos amigos e família próximos”, conta Gabriella. “Demos ainda mais valor a todos poderem vir, depois de tanto tempo separados.”

Para organizar a cerimónia, contaram com Diana Sorensen, da Sugokuii Events. Foi ela quem sugeriu que usassem carts da Carelli, usados tipicamente para transportar bagagem nas ruas sinuosas de Capri, e convertê-los para poderem transportar os convidados, que acabaram por experienciar zonas da ilha que são, por norma, de difícil acesso.

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Gabriella de Givenchy (@gabriellagivenchy)

Ainda que o planeamento do evento tenha sido desafiante, a escolha do vestido não podia ser mais fácil. “Desde que me lembro, sempre me imaginei a usar Givenchy no dia do meu casamento”, conta. “Eu sei que isto é o que o meu tio-avô Hubert quereria e sinto-me muito emocionada por o honrar desta forma. Adorei o processo de trabalhar com a Marjorie Andres, a diretora de alta costura, e o resto da equipa da Givenchy no meu vestido, pois contava com costureiros que trabalharam com o meu tio há todos aqueles anos.”

Era importante para a joalheira ter um vestido que representasse o seu estilo pessoal e que encaixasse com a estética da ilha. “Com isto em mente, partilhei os mood boards e imagens de inspiração com a equipa da Givenchy e eles perceberam a essência do que eu queria e tornaram-na em algo único”, diz. A criação final era um vestido romântico, com flores de renda, um decote coração e alças caicai. A maquilhagem foi natural e as joias escolhidas limitaram-se a dois brincos com pendentes de safiras azuis.

A cerimónia decorreu em Belvedere della Migliara, onde são organizados concertos ao ar livre no verão. A noiva percorreu o relvado coberto de gipsófilas ao som de “Claire de Lune”, de Debussy, de braço dado com o pai. Gabriella e Ugo leram os votos escritos por eles, trocaram alianças da Taffin (oferecidas pelo tio dela, James Taffin de Givenchy) e deram o primeiro beijo como marido e mulher.

Saíram os dois da cerimónia num Fiat Spiaggina vintage para ir beber um copo ao Bar Grotta Azzura, em Anacapri, antes de se voltarem a reencontrar com os convidados para a festa. “Ter este momento íntimo em casal foi uma das minhas partes favoritas do fim de semana, porque pudemos absorver todo o amor e entusiasmo que tínhamos acabado de receber”, recorda.

Seguiu-se um cocktail no hotel Caesar Augustus e, quando o sol se pôs, foram para o restaurante e clube de praia Lido del Faro. Os faróis iluminavam o caminho pelas rochas até uma mesa longa que a madrasta de Gabriella, Zoë, havia preparado com pratos da sua linha, Z.d.G. 

“Ela capturou perfeitamente a vibração do local e fez com que o jantar fosse ainda mais especial, por ter estas peças exclusivas que vamos poder ter para o resto das nossas vidas.” Depois do jantar, serviram o bolo, um mil-folhas de 90 centímetros com morangos selvagens. “Foi uma das coisas mais deliciosas que já provei”, contou Gabriella. “Ainda estou triste por não ter comido mais.”

givenchy
Os noivos e o mil-folhas gigante.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT