Moda

Como Billie Eilish fez com que Oscar de la Renta deixasse de vender peles

A marca estava a adiar a decisão há anos, mas só a tomou quando a artista se recusou a trabalhar com eles se não fizessem a mudança.
Estava lindíssima.

Estamos na era da segunda versão de Billie Eilish. Depois de revelar uma nova imagem na capa da “Vogue” britânica em maio deste ano, as expetativas para os looks de red carpet da artista têm estado altas nos últimos meses. Passou anos a frequentar os grandes eventos escondida debaixo de roupas largas, que lhe disfarçavam as curvas. Os fãs não conseguiam conter a curiosidade: Afinal, como vamos vê-la agora?

Nos MTV Video Music Awards, que aconteceram no domingo, 12 de setembro, pouco ou nada parecia ter mudado. Eilish escolheu um conjunto largueirão, preto, de inspirações góticas, muito característico da estética que já lhe era conhecida. Na noite seguinte, tornou-se claro que afinal estava a guardar todas as fichas para a Met Gala.

Esta segunda-feira, 13 de setembro, usou uma criação da Oscar de la Renta. Um vestido feito de tule cor de pêssego que fez parar a passadeira vermelha em frente ao Metropolitan Museum, em Nova Iorque. Depois de mais de dois anos de espera — a edição de 2020 foi cancelada por causa da pandemia — os olhos do mundo estavam postos nas estrelas. A artista não desiludiu e entrou rapidamente para os tops das mais bem vestidas da noite.

“Pareceu-nos um risco para ela — como algo que a deixou nervosa, mas de uma maneira positiva”, disse Fernando Garcia, diretor criativo da marca, ao “The New York Times“. “Afinal de contas, ela é uma rapariga e quer estar bonita.”

Que não restem dúvidas: bonita estava. No entanto, o que se tornou verdadeiramente histórico nesta colaboração não estava à vista de ninguém. A cantora disse que apenas aceitaria usar uma peça da maison para a Met Gala se deixassem de vender roupa, calçado e acessórios feitos de pele — uma história que foi avançada pelo “The New York Times” e confirmada pela própria na sua conta de Instagram. O mais incrível é que o desafio foi mesmo aceite.

“Foi uma honra usar este vestido, sabendo que daqui para a frente a Oscar de la Rente vai ser completamente livre de peles”, escreveu, declarado o entusiasmo que sentiu ao saber que fez uma mudança que terá um impacto positivo na vida dos animais, mas também no nosso planeta e no meio ambiente. “Estou honrada por ter sido uma catalisadora e por ter sido ouvida nesta matéria. Apelo a que todos os designers façam o mesmo.”

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por BILLIE EILISH (@billieeilish)

Eilish nunca tinha usado nenhuma peça da Oscar de la Renta numa passadeira vermelha. Depois de vários anos a adiar uma tomada de decisão (e mesmo sob uma pressão cada vez maior por parte de clientes, grupos e entidades ativistas) a casa de luxo resolveu finalmente tornar a sua produção mais sustentável e consciente. 

A peça criada para a Met Gala foi mesmo um corte com o passado estético da artista. Para deixar definitivamente para trás os looks andróginos, tendencialmente masculinos, e nada reveladores, os criadores inspiraram-se em estrelas da era dourada de Hollywood, como Marilyn Monroe ou Grace Kelly.

Aos 19 anos, tornou-se a co-chair mais nova de sempre na Met Gala. O seu vestido volumoso, de decote em barco, com um corpete, tinha uma cauda com mais de quatro metros e meio. Quando o foi experimentar, levou a sua mãe, que tirou tantas fotografias que o telefone bloqueou. Também é bem capaz de ter sido a única convidada na história do evento que levou a uma mudança nas políticas de uma grande marca de moda.

Garcia e Laura Kim, também ela diretora criativa da marca, já haviam feito apelos a Alex Bolen, o diretor executivo, sobre o uso de peles, argumentando que o mesmo já não era considerado chique, moderno ou relevante. Bolen discordava e aceitou apenas que deixassem de as usar nas passerelles. Segundo consta, um dos principais fatores eram os valores elevados das vendas dos produtos desta categoria.

Ao longo de várias temporadas, Bolen recusou a mudança, até mesmo aos pedidos da sua própria mulher, Eliza, que também trabalha na empresa, e da sogra, Annette de la Renta, viúva do próprio Oscar, que lhe dizia que se tratava de uma barbaridade.

Só depois de ouvir a equipa de Eilish afirmar que a artista não trabalhava com criadores que vendessem peles é que percebeu que estava na altura de parar. “Pensei muito no que o Oscar disse — ele era um grande fã de peles, a propósito — que uma coisa com que ele realmente se preocupava na indústria da moda era o seu olhar tornar-se velho”, declarou à mesma publicação. Isso recordou-lhe da importância de ouvir o que os jovens, em particular, têm a dizer. “Tenho de me rodear de pessoas com pontos de vista diferentes.”

Entretanto, foram muitas as estrelas que passaram pelo evento com vestidos lindíssimos e extravagantes — Kim Kardashian parou a Internet com um look da Balenciaga que lhe cobria a cara por completo. Leia o artigo da NiT para saber mais. A seguir, carregue na galeria para ver algumas das celebridades que mais se destacaram na red carpet.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT