Moda

Kid Cudi foi elogiado por usar um vestido — mas a comunidade LGBTQ+ não ficou contente

Há internautas furiosos com o padrão duplo aplicado ao artista. Para os transsexuais, usar um vestido pode ser um caso de vida ou morte.
Foi a 10 de abril.

Os membros da comunidade LGBTQ+ estão a criticar fortemente as reações positivas que se têm vindo a espalhar pela Internet ao longo do último mês em louvor do vestido usado por Kid Cudi no programa americano de culto “Saturday Night Live”. O problema, adianta o “The Guardian“, não foi a escolha desta peça de roupa, mas o facto dos transsexuais serem vítimas de preconceito quando fazem o mesmo.

A performance que está a gerar polémica aconteceu a 10 de abril e o debate tem vindo a crescer nas redes sociais nas últimas semanas. O rapper de 37 anos escolheu um vestido floral da Off White para usar durante a sua performance de “Sad People” e confirmou mais tarde no Twitter que tudo se tratou de uma homenagem a Kurt Cobain.

Aquela semana calhou no aniversário da morte do vocalista dos Nirvana, que morreu a 5 de abril de 1994, aos 27 anos. O vestido de Kid Cudi assemelhava-se ao que Cobain usou na capa da revista “The Face” em 1993. Enquanto os internautas elogiaram o modo como o rapper canalizou a abordagem sem-género à moda, também houve quem acusasse essa mesma reação de um padrão duplo, aquilo que acontece quando se aplicam julgamentos diferentes a situações semelhantes.

kid cudi
O vestido de Kurt Cobain.

No Instagram, a modelo e ativista Munroe Bergdorf, por exemplo, apressou-se a comentar o caso. “Por mais fabuloso que seja ver um homem heterossexual e cisgénero e acolher a feminilidade através da moda, vamos recordar-nos que não vão enfrentar tanto ódio ou o perigo físico como as pessoas homossexuais quando fazem exatamente a mesma coisa.” Recebeu mais de 73 mil likes.

Pela caixa de comentários comentários, pode encontrar-se um utilizador que escreveu: “É insultuoso que os homens cisgénero e heterossexuais sejam louvados por aquilo que os transsexuais recebem bullying e são mortos. Para eles é uma moda, uma máscara. Para os trans é vida e morte.”  Segundo a organização Human Rights Campaign, já foram assassinadas 13 pessoas transsexuais em 2021, um aumento de 333 por cento em relação ao ano passado.

Eden Loweth, o diretor criativo da marca unissexo Art School identifica-se como não-binário e pede para ser tratado pelo pronome “eles”, de género neutro. Sobre a polémica, disse: “[Kid Cudi] vai poder contornar os perigos do dia-a-dia que a maioria das pessoas, como eu, iriam enfrentar se fizessem o mesmo na rua.” Para Loweth, o uso de um vestido por parte do artista não teve contexto político. “Não o vejo mesmo como um momento de união. Nem sequer o vejo como corajoso. É uma máscara usada por um performer”, acrescentou.

Ao “The Guardian”, Kit Heymann, um investigador académico e treinador de sensibilização para os trans, afirmou que se sentia desapontado com o que o artista fez na atuação. “Sinto-me frustrado por ele escolher não reconhecer que os riscos para ele, como um homem cisgénero a usar um vestido, são bastante mais baixos do que para uma mulher transsexual.”

No entanto, este não foi o único debate que Kid Cudi lançou com o seu vestido da Off White. Muitos apressaram-se a questionar se as roupas deveriam sequer ter género. Para Loweth, a resposta é não. “A sociedade perpetua narrativas nos objetos, o que restringe e impacta negativamente as nossas crianças desde uma idade muito nova”, afirma.

Ryan Butcher, editor da revista gay “PinkNews”, diz que é perigoso misturar uma situação em que um homem cisgénero desafia os limites e as expetativas da sua masculinidade com o tratamento atroz de pessoas transsexuais. “São duas conversas diferentes”, referiu ao jornal britânico. Para ele, a sociedade mainstream devia preocupar-se com a violência contra as pessoas trans.

Já em novembro do ano passado, Harry Styles esteve na boca do mundo por ser o primeiro homem a fazer a capa da “Vogue” americana sem companhia feminina. Foi uma escolha inédita, tornada mais impactante por o britânico usar um vestido da Gucci e blazer — e já na altura a polémica foi levantada em torno do padrão duplo. Saiba mais sobre o estilo irreverente do artista no artigo da NiT.

Entretanto, o vestido de Kid Cudi que fez correr tanta tinta vai estar à venda na próxima coleção da Off White — só não se conhece ainda a data de lançamento.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Munroe ✨ she/they (@munroebergdorf)

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT