Moda

Mais um escândalo: Shein é acusada de plagiar coleção inteira de designer brasileira

A denúncia foi feita pela criadora Bailey Prado. 40 modelos terão sido copiadas pela fast fashion chinesa. As semelhanças são chocantes.
As semelhanças são óbvias.

A 5 de agosto, a Shein voltou a ser acusada de plagiar os designs de uma pequena criadora e colocá-los à venda no site a preços baixos. Desta vez, as denúncias foram feitas pela brasileira Bailey Prado, que se especializou em criar peças originais de crochet, todas feitas à mão.

Foi um seguidor que a alertou que havia encontrado vários modelos semelhantes ao seu à venda na Shein. No total, eram mais de 40 modelos. A criadora resolveu levar a questão até às redes sociais e partilhou as comparações na sua conta de Instagram — as semelhanças são mesmo chocantes.

“Não é nenhuma novidade que eles estejam a fazer isto”, começa por escrever Prado, com um apelo para que as grandes cadeias internacionais comecem, pelo menos, a pagar pelas apropriações de designs alheios. “O que é que é preciso acontecer para que as empresas de fast fashion parem de roubar pequenos designers? Eu passei tantas horas da minha vida a fazer tudo isto à mão”.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por @baileyprado

Os modelos feitos à mão de Bailey Prado podem custar perto de 100€. Já as imitações da Shein estão à venda por menos de 20€.

À revista “Dazed”, a criadora descreveu o choque ao descobrir que a Shein não se havia limitado a copiar uma peça, mas sim toda a nova linha. “Quando eu vi toda a coleção e comecei a reconhecer cada um dos meus modelos, sabendo de onde eles vieram, eu fiquei chocada e não senti que era real”, recorda. Até agora, a cadeia chinesa não comentou a situação e Bailey Prado continua à espera de fazer justiça. 

Este caso assemelha-se ao da criadora portuguesa Lara Luís, que descobriu uma das suas ilustrações estampada numa T-shirt e à venda em promoção na loja online da Shein por 6€. “No meu caso, sou uma artista independente, vivo do meu trabalho enquanto ilustradora e roubarem-me um desenho meu para lucrarem milhares só porque podem é uma facada no coração”, contou à NiT. Leia a história completa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT