Moda

MyCloma: já pode comprar roupa em segunda mão nos Auchans de Alfragide e Almada

A plataforma portuguesa chegou aos supermercados com várias propostas de vestuário em bom estado e a preços baixos.
Por um mundo mais sustentável.

Tudo começou em junho do ano passado com um conceito simples: só tem que pedir uma recolha da roupa usada, os jovens fundadores da MyCloma vão buscá-la e tratam de tudo até à nova venda; se isso acontecer, o antigo dono ainda recebe uma comissão. 

O projeto cresceu rápido no nosso País e já incluiu parceiras com a Escola de Moda do Porto, com quem criaram uma linha de roupa feita de tecidos que seriam deitados ao lixo — e que foi lançada em maio deste ano. Já em junho, chegou o MyCloma Fest, um novo mercado que encheu a Rua do Monte Alegre, no Porto, com milhares de peças de roupa e livros em segunda mão, mas também de projetos de arte ecológica, música, comfort food e workshops ligados à sustentabilidade.

Agora, a plataforma portuguesa chega mais longe com dois novos espaços espaços de venda nos supermercados Auchan. O primeiro chegou a Matosinhos em dezembro do ano passado, mas a empresa confirmou que, após esse teste piloto, a iniciativa vai avançar para as lojas de Almada e Alfragide com o espaço ReUse, que permite aos clientes comprar e experimentar roupa em segunda mão em excelente estado de conservação e a preços acessíveis.

mycloma
O espaço da MyCloma na Auchan.

A MyCloma foi criada em plena pandemia por um grupo de empreendedores portugueses para promover a economia circular, ajudar o ambiente e evitar o desperdício. Ao se depararem com os números preocupantes do desperdício têxtil em Portugal, os mentores do projeto decidiram criar uma plataforma pioneira que permite vender e comprar roupa usada de forma rápida, fácil e despreocupada.

Para o fazer, os responsáveis recolhem roupas usadas e esquecidas em roupeiros por todo o País, para as colocarem depois à venda por preços acessíveis e lhes darem uma nova vida. Além disso, todas as peças que são consideradas não vendáveis são doadas, tendo já contribuído com mais de 40 mil doações para ONG locais.

“A Auchan Retail Portugal tem-nos permitido alcançar um público alvo específico e alargar os nossos canais de distribuição ao mesmo tempo que marca a diferença no setor do retalho com uma oferta que, no nosso entender, não só ajuda na promoção de comportamentos mais sustentáveis da sociedade como também reforça o compromisso de uma grande cadeia com um desenvolvimento sustentável do nosso planeta”, conta Ana Monteiro, de 21 anos, fundadora do projeto.

Quem se associar a este projeto, pode enviar as roupas que já não usa e receber em troca um vale de compras de 10€ para usar nas lojas Auchan.

Durante vários anos, Ana tinha por hábito doar a roupa que já não queria, mas cedo percebeu que havia uma falha no mercado: “Podia haver um sítio onde as pessoas pudessem vender a sua roupa para ser usada por outras“, explica. Começou por colocar algumas peças à venda no OLX e noutras plataformas de venda até criar a sua própria página de Instagram, em maio de 2019, e a procura “foi enorme”, recorda.

O seu irmão, Fernando Monteiro, de 34 anos, já tinha alguma experiência na área de gestão e Ana decidiu pedir-lhe ajuda para criar um serviço que pudesse “responder a esta necessidade”. “Ele tem mais experiência e visão de mercado para me ensinar a fazer crescer o negócio”, acrescenta Ana. Juntos, reuniram uma equipa e criaram a plataforma MyCloma.

A seguir, carregue na galeria para conhecer as peças de upcycling — um processo de transformação de roupa destinada ao lixo em artigos novos — que foram criadas pelos alunos da Escola de Moda do Porto para a MyCloma (e lançadas em maio deste ano).

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT