Moda

O vestido quente que vai trazer a bombazine de volta custa 15€ (e as morenas vão adorar)

Ou se ama ou se odeia. Muitas mulheres vão querer fugir da proposta da Kiabi, enquanto outras não resistem ao estilo retro.
Não há meio termo.

Todos os avós (ou alguém que tenha vivido nos anos 70) têm aquele casaco ou calças de bombazina que guardam no armário com carinho. Em eventos especiais, como aniversários de casamento ou batizados, voltam a tirá-lo do guarda-roupa e provam que o tecido, que faz parte das nossas memórias, continua impecável — anos depois de ter sido estreado. Apesar da durabilidade, esta matéria-prima é tudo menos consensual.

Inicialmente, a bombazine era feita de seda ou de uma mistura de seda e lã. Surgiu no Reino Unido no século XVI, durante o reinado de Isabel I, e era usada na fase de luto porque o tecido preto tinha a quantidade de brilho certa ser considerado adequado. Além disso, como a composição suportava vários usos e lavagens, a viúva só precisava de cerca de quatro modelos para usar durante o ano após a morte do marido falecido.

Quanto ao nome, que deriva do italiano bombagina, faz referência ao tecido canelado de algodão que imita o veludo. Este efeito às riscas é um dos traços mais comum nas peças que utilizam o tecido, embora não aconteça em todas.

Não podemos dizer que esteja no topo da lista das tendências para 2023, embora não faltem peças de bombazine nos cabides das lojas. A diferença é que as marcas, sobretudo as de fast fashion, apostam em alternativas produzidas com fibras menos nobres, como o poliéster. É o caso da Kiabi, que aproveitou o tecido para lançar um vestido, de mangas compridas, que não vai deixar ninguém indiferente.

As morenas são o grupo que mais vai ficar encantado com a proposta, já que a cor acastanhada realça os cabelos mais escuros. A tendência ton sur ton, ou tom sobre tom, é uma das favoritas no mundo da moda e consiste em combinar peças da mesma cor, mas em tonalidades diferentes. Não se limita apenas a duas peças de roupa, mas também à forma como a matiz destaca o tom de pele ou os fios capilares, por exemplo.

Vestido
Está quase a metade do preço.

A peça curta assemelha-se a uma camisa, com um colarinho italiano e os botões até à bainha. O objetivo do chemise dress é recriar a camisa masculina com um corte mais singelo, que se destaca pelo conforto, elegância e versatilidade. Além disso, por norma, a peça adapta-se a mulheres de todas as idades, corpos e gostos.

Uma prova disso é o cinto, no mesmo tecido e na mesma cor, que define a cintura. E apesar de ser uma proposta low cost, tem vários pormenores que ajudam a elevar o modelo, como os franzidos nos ombros. Todos estes detalhes ajudam a modernizar um tecido que ainda é considerado adequado.

O vestido custava 28€, mas agora está disponível no site da Kiabi por 15€. Quanto aos tamanhos, ainda existe em L e XXL — o S e o M já esgotaram.

Carregue na galeria para descobrir mais peças que estão em saldos de etiquetas como a Mango, a Zara, a Massimo Dutti ou a Bimba y Lola.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT