Moda

Os livros são o acessório favorito das it girls (a moda sobre a qual nunca pensou ler)

Bella e Gigi Hadid foram vistas em público com várias obras, abrindo uma discussão sobre o objeto como apontamento de estilo.
Divide opiniões.

A influência de Bella e Gigi Hadid no mundo da moda é inegável. Em torno dos seus editoriais fotográficos, desfiles de moda e publicações no Instagram, reúne-se um gigantesco grupo de mulheres que seguem todas as tendências usadas pelas supermodelos, nomeadamente no campo dos acessórios. Não falamos só de colares ou carteiras, mas também de livros. Sim, com folhas de papel e capas. As irmãs andam com eles nas mãos para todo o lado, e sem nada que o fizesse prever, tornaram-se  osobjetos da moda.

Contra todas as expetativas, não são mais recentes lançamentos que as modelos exibem. Algumas das obras que mais têm chamado à atenção são edições de clássicos da literatura que transcendem gerações. É o caso de “O Estrangeiro”, de Albert Camus, que Gigi Hadid levou para todo o lado durante as semanas da moda.

Bella Hadid, por outro lado, mostrou o livro que a tem acompanhado na sua página de Instagram. Depois de ter sido vista com em público com a obra, fotografou a edição vermelha em capa dura de “The Outsider”, de Stephen King, ao lado de uma carteira vintage da Louis Vuitton com um estampado com cerejas. Apesar de muito distintos, ambos disputam o lugar de acessório de eleição da norte-americana.

O interesse pela literatura das irmãs Hadid foi notado de imediato. No Youtube, a outubro de 2021, o criador de conteúdos Jack Edwards aproveitou a sua rúbrica “Celebrity Book Club” para investigar as obras que as irmãs exibem. Decidiu ler e avaliar, perante cerca de meio milhão de pessoas interessadas, alguns dos livros com os quais as it girls foram vistas.

A ligação da moda à literatura não é, porém, uma novidade. Além dos livros serem uma das primeiras fontes de conhecimento sobre a história da indústria, também os designers retiram inspiração da ficção. Uma das obras que tem inspirado os criadores de forma recorrente é “Orlando”, de Virginia Woolf, que serviu de mote à coleção da Burberry, em 2016, ou para as criações alucinantes de Rei Kawakubo, para a Commes des Garçons, em 2020.

Nas palavras de Oscar Wilde, o autor de “O Retrato de Dorian Gray”, “a moda é apenas uma forma de feiura tão absolutamente insuportável que temos que alterá-la a cada seis meses”. O escritor, que dedicou muitas páginas ao papel da arte na condição humana, navegou os dois mundos. Depois de ter publicado o ensaio “The Philosophy of Dress”, em 1885, tornou-se editor na revista de moda “The Woman’s World”.

Ainda assim, apesar do caráter cíclico das tendências, o uso de livros, revistas ou jornais como um objeto para complementar um look mantém-se firme. E não, não começou com as irmãs Hadid. A magazine clutch, ou seja, carteiras que simulam uma revista enrolada, foram um acessório famoso nos anos 70. E, mais tarde, voltou à ribalta graças a “Sex and the City” — Carrie Bradshaw usava um desses modelos. Bella Hadid, por exemplo, já foi fotografada com uma carteira com o logótipo da revista “Time” gravado, que fez parte da coleção de primavera-verão 2018 da marca Off-White.

Usar os livros para decorar a mesa de centro da sala ou outros cantos de uma casa ou escritório, já não é visto com estranheza. São elementos que preenchem qualquer divisão com as suas dimensões e capas, muitas vezes, deslumbrantes. Este tipo de obras são mesmo conhecidos por coffee-table books. Nesse caso, é melhor que se mantenham estáticos, mas existem muitas outras edições bem mais fáceis de transportar. E, se andarmos sempre com um livro atrás, a probabilidade de desenvolver hábitos de leitura quotidiana é maior.

Carregue na galeria para conhecer os modelos de carteira que são tendência este ano.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT