Moda

Drama, romance e muitos floreados: os looks mais ousados da Met Gala

Como sempre, a gala encabeçada por Anna Wintour contou com as peças mais ousadas e bizarras do ano.
Uma gala onde o arrojo está sempre presente.

Quando as celebridades se amontoam nos degraus do Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque, o motivo só pode ser apenas um: mais uma edição da aguardada Met Gala — um dos momentos mais celebrados no mundo da moda. Na segunda-feira, 6 de maio, foi mais um dia da anual gala de angariação de fundos do museu, abrilhantada pelas mais arrojadas criações estilísticas que usam os famosos como manequisn.

Todos os anos, uma nova temática serve de mote aos criadores. O dress code para o evento de 2024 foi “The Garden of Time” (O Jardim do Tempo), inspirado no conto homónimo do escritor JG Ballard, lançado em 1962. Na obra, conta-se a história do conde Axel e da sua condessa, que viviam numa casa com vista para um jardim de flores cristalinas, mais tarde invadido por uma multidão insatisfeita. Leia mais sobre a história neste artigo da NiT. 

Por sua vez, o tema da passadeira vermelha da Met Gala dá continuidade à exposição do museu, que este ano se chama “Sleeping Beauties: Reawakening Fashion” (ou “Belas Adormecidas: O Despertar da Moda”). O objetivo é que, com o apoio da tecnologia — graças à realidade aumentada, inteligência artificial ou animações, por exemplo — sejam reimaginados “cheiros, sons, texturas e movimentos” de peças de vestuário históricas e contemporâneas icónicas. 

Apesar da lista de convidados sempre enigmática, sabia-se que alguns dos co-anfitirões seriam Bad Bunny, Chris Hemsworth, Jennifer Lopez, Zendaya e Anna Wintour. A restante lista de participantes contaria com os melhores cantores, atores modelos e artistas do mundo. 

A gala, organizada pela ícone da moda e diretora da revista norte-americana “Vogue”, Anna Wintour, cumpriu os presságios iniciais. Os looks, neste caso, ligados à ornamentos florais ou à tecnologia, foram tão bizarros quantos icónicos — como é já tradição no evento que marca o início da exposição anual. 

Não faltaram referências à natureza, em forma de flores ou ramos, como foi o caso de Lana del Rey, num visual etéreo e dramático, mas romântico, graças a um desenho de Seán McGirr, da Alexander McQueen. O vestido conta com um espartilho em seda, georgette duplo e tule bordados à mão com ramos de espinheiro em bronze martelado. 

Já Gigi Hadid exibiu um look que demorou mais de 13 500 horas a ser feito, num visual inconfundível de Thom Browne. O seu vestido branco com espartilho de ombros largos e ancas desproporcionais, colocadas por baixa de um casaco de moiré de seda branca com uma ponta de cetim duchesse preto, coberto de rosas amarelas, foi um autêntico jardim em 3D.

Zendaya foi uma das grandes protagonistas da noite, com não apenas um, mas sim dois visuais distintos; ou ainda Cardi B, com um longo e exuberante vestido negro. Muitas foram as celebridades que trouxeram as combinações mais inesperadas e vanguardistas, tal como é esperado em qualquer Met Gala.

Carregue na galeria para ver alguns dos looks que mais se destacaram na passadeira vermelha da edição deste ano.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT