Moda

Paula Bobone está a leiloar milhares de peças do seu guarda-roupa a preços baixos

A socialite portuguesa pôs à venda carteiras da Dior, bandoletes da Dolce & Gabanna, lenços da Moschino e cintos da Chanel.
Tornou-se célebre graças aos seus livros de etiqueta.

Esta segunda-feira, 25 de outubro, a mais incontornável figura da etiqueta nacional pôs a leilão mais de 300 lotes de roupa, acessórios e joalharia. “Eu funciono por impulsos”, comenta com a NiT Paula Bobone. “Estive a fazer uma arrumação da minha casa durante a pandemia e percebi que tinha roupa a mais.”

Com a ajuda da amiga Madalena Braz Teixeira, que esteve durante 30 anos à frente do Museu Nacional do Traje e da Moda, lembrou-se que poderia doar alguns artigos e por outros a leilão. Depois de vários meses de seleção e recolha, a leiloeira Casal Moncada Leilões tem agora no seu site uma montra espetacular de lenços, bandoletes, joalharia e chapéus da socialite. “Cor e extravagância não vão faltar”, prometem os responsáveis.

“Sempre gostei de fazer um registo fotográfico e de organizar as minhas peças por temas no computador”, explica-nos Bobone, que tem por hábito manter um arquivo com todos os artigos do seu vasto guarda-roupa. Durante praticamente um ano, pôs o armário todo por ordem e recebeu em sua casa a equipa da leiloeira, que tirou fotografias e filtrou o recheio do roupeiro. “Eles não queriam nada que não fosse de grandes marcas”, conta.

Até às 21 horas de 31 de outubro, no próximo domingo, a licitação “Improvavelmente Correto – Coleção de Moda de Paula Bobone” vai estar no site da Cabral Moncada Leilão, com um catálogo espantoso composto por etiquetas como a Yves Saint Laurent, Moschino, Chanel, Prada, Karl Lagarfeld, Dolce & Gabanna e Burberry, para mencionar apenas algumas.

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Cabral Moncada Leilões (@cabral_moncada_leiloes)

Há peças cuja base de licitação são 20€ — como um top de malha de seda cinzenta — e outras que começam nos 500€, como as icónicas carteiras Lady Dior. “Tenho de todas as cores. Nem fiquei com nenhuma, a minha filha é que quis ficar com uma preta”, revela. O valor global estimado das peças em licitação é de cerca de 25 mil euros.

Paula Bobone recorda 30 anos a comprar em boutiques um pouco por todo o mundo, ao longo dos quais acumulou mais de cinco mil peças de roupa e acessórios. “Eu sempre viajei muito. Em Londres e Paris descobri as lojas com as coisas mais giras. Não deve haver ninguém no mundo com mais bandoletes do que eu. Sou talvez um pouco infantil na forma de brincar com as coisas. Cheguei a usar 20 anéis ao mesmo tempo nas mãos.”

A jet-setter trabalhou na Divisão de Informação e Relações Públicas do Ministério da Cultura e reformou-se em 2000. Tornou-se célebre depois de lançar o livro “Socialmente Correcto”, editado pela Bertrand em novembro de 1999, depois do qual se seguiram outras 11 publicações.”

Agora, adianta à NiT que está a trabalhar num livro sobre a história da moda, um tema pelo qual se interessa desde miúda. “Comecei a vestir-me assim porque sou de uma geração em que surgiram os hippies e os punks, nos anos 70. Eu alinhei. As calças rotas é que nunca me convenceram.”

Entre as memórias de uma vida rodeada pelos ricos e famosos, recorda as festas em que marcou presença, no Mónaco, na Suíça, no Reino Unido, em França, ao lado de presidentes de países, estrelas de Hollywood, princesas, criadores de alta-costura. “Como eu ia vestida de forma exótica achavam sempre que não era portuguesa”, relembra.

O catálogo foi organizado pela própria e conta com uma curadoria artística sofisticada, além de um prefácio escrito pela princesa Maria Luísa da Prússia, neta do kaiser da Prússia. Depois de terminado o leilão, será feita uma doação de algumas peças, ainda por avaliar, ao Museu Nacional do Traje e da Moda.

Carregue na galeria para conhecer algumas das suas peças que estão agora a leilão no site do Casal Moncada Leilões.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT