Moda

Se não gosta delas, o melhor mesmo é aceitar: as botas UGG estão de volta

A marca conhecida pelos modelos com pelo voltou a tornar-se numa das maiores tendências de 2022. Vai ser capaz de usar umas?
Quem diria?

O estilo Y2K é uma das principais tendências da estação, algo que se tornou claro, tanto nas redes sociais como nas passerelles dos desfiles. O género “the year 2000″ trouxe de volta os tops com alças brilhantes, as T-shirts com estampados em tons ácidos e as camisolas de gola alta semi-transparentes. No entanto, nada fazia prever que uma das marcas mais famosas dessa década iria voltar em força: a UGG.

As botas da marca americana — que falsamente se acredita ser australiana — haviam saído de circulação há pelo menos uma décadas e poucos acreditavam que regressariam. Porém, foi precisamente isso que acabou por acontecer.

Há muito que a insígnia especializada na criação de modelos forrados com sherling tentava recuperar o seu lugar no coração dos consumidores. E as tentativas foram mais que muitas: desenvolveram chinelos, criaram uma parceria com a Y/Project, e apostaram, inclusivamente, em produzir um modelo de carteiras em conjunto com a Telfar. No entanto, nada foi tão eficaz como ver as modelos Kendall Jenner, Hailey Bieber e Bella Hadid com um par nos pés.

Quer se ame ou se odeie as botas UGG, a verdade é sempre estiveram associadas a celebridades. Nos anos 2000, foram personalidades como Paris Hilton, Nicole Richie ou Jessica Alba que as tornaram num sucesso mundial. O fenómeno de moda atingiu tais proporções que não existia uma única loja onde não víssemos um par — mesmo que fossem réplicas. Faz sentido que agora, em 2022, também tenham sido as celebridades a fazer renascer a paixão pelas botas.

Além das modelos houve ainda um outro nome que ajudou a impulsionar o seu retorno: Cher. A mega-estrela da indústria musical foi convidada para ser um dos novos rostos da marca, e num curto espaço de tempo, as pesquisas nos motores de busca pelos modelos UGG aumentaram drasticamente. De acordo com o site britânico “The Sole Supplier” bastaram algumas horas para que subissem 1280 por cento.  

Existe, no entanto, uma pequena diferença entre o modelo que agora vemos — vezes e vezes sem conta — nas publicações das redes sociais e o que se tornou popular nos anos 2000: ao invés da versão de cano subido, as Ultra Mini passaram a ser as favoritas dos consumidores. A demanda é de tal forma grande que os stocks têm esgotado pouco tempo depois de chegarem às lojas. E com a falta de pares disponíveis, houve inclusivamente quem se dedicasse a criar vídeos DIY, no Tik Tok, dar dicas de como transformar um velho par na nova versão.

Verdade seja dita, todas as pessoas que já calçaram um par deste modelo — da marca ou uma réplica — sabem bem o quão confortáveis e aconchegantes são. Por isso, e se refletirmos melhor, no âmbito da macro tendência de estilo onde o conforto passou a valor primordial, até faz algum sentido este retorno.

À semelhança do que aconteceu no passado, não existem limites a como ou quando as usar. Assim que os dias começarem a aquecer pode usá-las com calções e uma camisola de malha. Nos dias mais frios, tudo que tem a fazer é conjugá-las com as suas calças habituais. 

Se as UGG não são a sua praia, carregue na galeria para conhecer a melhor forma de usar botas de cano alto este inverno. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT