Moda

Ricardo Preto encerrou a ModaLisboa com uma linha em tons pastel frios

O criador português convidou ainda vários artistas para criarem as estampagens das propostas para o outono/inverno.
O criador fechou o evento.

Chegou ao fim o quarto e último dia da primeira edição totalmente digital da ModaLisboa. Foi ao criador Ricardo Preto que coube a tarefa de encerrar o evento, com um desfile virtual que foi transmitido em live streaming pelas 21 horas deste domingo, 18 de abril, com acesso livre através do site oficial da organização, na app (disponível para iOS e Android) e na ModaLisboa app TV para clientes MEO.

Num vídeo com pouco menos de cinco minutos, o criador português apresentou a coleção para o outono/inverno de 2021/22. Nele, pudemos conhecer Unfastened, uma linha que quer transmitir que, através da arte, podemos prosperar, experimentar e aprender a pensar de novo.

Para criar as propostas para a próxima temporada, Ricardo Preto convidou vários artistas a darem as suas visões a um desejo “de evadir livremente no espaço urbano, correr nas ruas, cumprimentar estranhos, abraçar o mundo e ver as pessoas em casa quando estamos na rua”, nas palavras do próprio.

Para isso, desafiou o artista Pedro Gomes para criar estampagens com as suas paisagens urbanas que trouxessem a rua para casa e levassem a casa para a rua. Já Cláudia Efe e António Real foram encarregues de grafitar os acessórios e os kispos. 

Esta coleção tem uma paleta de cores em tons pastel frios de cor-de-rosa, amarelo e verde. O preto continua a servir para coordenar silhuetas fluídas com outras mais estruturadas e oversized. Mantém o ADN de Ricardo Preto num look “sem esforço”, tranquilo e contemporâneo. Já os materiais usados são, principalmente, crepe, sedas, tecidos técnicos e faux fur.

Afinal, como começou Ricardo Preto? 

Depois de terminar o 12.º ano, Ricardo Preto decidiu seguir arquitetura. Tirou a licenciatura na Universidade Lusíada, em Lisboa. Mas após fazer um curso de corte e costura com Maria Emília Sobreira e um workshop de handbags na St. Martin School of Arts, em Londres, decidiu mudar o rumo e seguir moda.

Pegou nos seus ensinamentos e começou por desenhar uma coleção para a marca Amarras, bem como malas para a espanhola Perteguaz. Na mesma altura, criou acessórios e chapéus para Osvaldo Martins e Dino Alves. 

Depois de apresentar duas coleções nas “Manobras de Maio”, em Lisboa, foi convidado para integrar o calendário da ModaLisboa, em março de 2006 – vínculo que tem mantido até hoje. A par da criação de coleções próprias, tem trabalhado na área de produção de moda para diversas revistas de moda e lifestyle nacionais e desenvolvido parcerias criativas com várias marcas. Imaginou ainda o guarda-roupa para a ópera Paint Me, uma coprodução do São Carlos e da Culturgest, encenada por Rui Horta, que estreou em 2010.

Entre 2010 e 2015, desenvolveu várias coleções com a Meam Style. Ao todo, três linhas por estação, que foram vendidas em Espanha, França e Itália. Nessa mesma altura iniciou uma parceria de venda na conceituada Loja das Meias, em Lisboa, ao lado de criadores internacionais. 

Desde 2016 que desenha as coleções Ricardo Preto exclusively for Rustan’s Men and Woman, e U by Ricardo Preto for Rustan’s Men and Woman, assim como acessórios para as duas linhas, que estão atualmente à venda no mercado asiático.

Carregue na galeria e conheça melhor a nova coleção do criador português.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT