Moda

Sara Matos Vs. Zendaya. Atriz opta por look demasiado inspirado na estrela de “Euphoria”

A protagonista da novela "Sangue Oculto" destacou-se na cerimónia 26.ª cerimónia dos Globos de Ouro, mas não pela originalidade.

Na noite deste domingo, 2 de outubro, o Coliseu dos Recreios, em Lisboa, voltou a receber a entrega de prémios dos Globos de Ouro. A SIC transmitiu a 26.ª gala da cerimónia onde, anualmente, os mundos da televisão e da moda se tornam um só. Como é habitual, foram muitas as figuras públicas que se destacaram tanto pelos visuais na passadeira vermelha, como pelo seu trabalho em áreas como o cinema, o teatro, a música ou o humor.

Entre os habituais jogos de luzes, vários rostos da estação de Paço de Arcos tentaram marcar o compasso para o resto da gala, E, se muitos dos convidados não conseguiram transmitir o seu empenho no visual, houve quem traduzisse o desejo de se destacar num momento de moda memorável. É o caso de Sara Matos, que surgiu com uma armadura anatómica azul, a combinar com uma saia fluida e comprida na mesma cor que se afirmou no meio de silhuetas muito semelhantes. No entanto, perdeu pontos pelas comparações imediatas a um outro look que nos deixou com uma sensação de déjà vu.

A atriz surgiu na passadeira vermelha com uma espécie de armadura anatómica azul, combinado com uma saia fluida na mesma cor. Na parte de cima, a peça que modela os seios podia criar a ilusão de que foi moldada no próprio corpo da atriz, como uma verdadeira escultura corporal, mas a escolha de usar um soutien no mesmo material metálico por baixo, quebra a fantasia. Ainda assim, pode ser visto como a intersecção entre a moda e arte, sem necessitar de grandes explicações.

Com direção criativa do estúdio Lafayette, que trabalha com styling e consultoria de moda, a apresentadora escolheu um modelo criado por um designer em ascensão, que se tem vindo a destacar nas redes sociais pela sua visão futurista. Chama-se Cyber Tokyo e mistura, com regularidade, a produção de moda com a edição digital.

Em conversa com a NiT, o designer de 23 anos falou sobre o processo. “Esta colaboração surgiu através da Mónica Lafayette, alguém que sempre admirei muito e que vejo como mãe/mentora na indústria da moda. Não somos estranhos ao trabalho um do outro. Quando ela me contactou, juntei-me ao Marco Maiato [artista visual], que também admiro imenso e alinhámos logo”, diz, sobre a relação com a stylist angolana em quem Sara Matos confiou. O visual foi complementado com um blunt bob desenvolvido pelo salão Hair Fusion que destacava a vibe excêntrica do conjunto, joias discretas da Pricci e sapatos da Aldo.

Para os mais atentos, a criação usada pela atriz portuguesa evocou o look de Zendaya na red carpet dos Critics’ Choice Awards em 2020, desenhado por Tom Ford. Do bustier metálico cropped até à saia, as duas peças rosa saídas da coleção de primavera-verão 2020 do designer norte-americano foram uma referência que não escapou às redes sociais. A principal diferença é que a protagonista de “Euphoria” levou o conceito mais além, ajustando a armadura totalmente ao seu corpo.

“Fomos buscar inspiração ao look da Zendaya, através do qual foram feitos vários sketches e modelos sobre como seria a peça em si”, revela ainda Cyber Tokyo, que partilhou partes do processo de construir a parte superior do visual no seu Instagram:  “Não digo que a breastplate tenha exigido mais trabalho, até porque todas as pessoas envolvidas se dedicaram imenso imenso, mas o design e impressão 3D utilizadas é algo meio novo em Portugal e, assim, foi assim uma experiência nova”, esclarece, sobre o uso da tecnologia para recriar a peça de alta costura.

Um processo que foi do digital ao físico.

Na comédia, quando uma punchline precisa de ser explicada, então é porque não funcionou. O mesmo acontece neste contexto. Se o motivo da escolha parece tão rebuscado que escapa à compreensão das massas, o melhor é assumir que não foi uma ideia feliz. Apesar serem raras em criações nacionais, as peças que imitam o corpo humano (ou inspiradas em armaduras) têm sido tão exploradas nos últimos anos que retira o fator originalidade pelo qual Sara Matos costuma primar.

Uma outra evidência deste estilo na moda, foram os abdómens definidos e breastplates da Schiaparelli, de Daniel Roseberry. As criações mimetizam a figura humana, simulando corpos femininos com seios e peitorais, que também já chamaram à atenção de Kim Kardashian. Ao longo dos anos, vimos ainda modelos similares de esculturas corporais nas coleções de insígnias tais como Thierry Mugler, Alexander McQueen e Givenchy.

Sara Matos merece ser elogiada por optar por uma perspetiva inovadora em Portugal sobre a moda feminina e sobre o estilo que se considera digno de uma passadeira vermelha. Porém, neste caso, a linha entre inspiração e cópia é muito ténue — e existem formas mais inovadoras de explorar um conceito, mantendo a identidade visual da pessoa que veste a roupa sem que seja necessário procurar as diferenças.

Carregue na galeria para ver mais imagens do visual de Sara Matos, assim como alguns dos looks mais marcantes que passaram pela edição de 2022 dos Globos de Ouro.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT