Moda

Só 17% das marcas de roupa têm programas de recolha para reciclagem

A revelação é feita por uma pesquisa da associação ambiental Zero.

De 35 grandes marcas de roupa com lojas online, que operam em Portugal, apenas seis têm programas de recolha de peças usadas para reciclagem. Um número muito abaixo do esperado e longe do ideal.

A revelação é feita pela associação ambientalista Zero, que analisou cada uma das empresas, à procura de um projeto que cumprisse com a responsabilidade das marcas na gestão dos desperdícios. “Ainda que a reciclagem esteja longe de ser a principal solução para este setor, é preocupante ver como a maioria das marcas não assume ainda a sua quota-parte de responsabilidade pela gestão deste fluxo de resíduos que, só nos resíduos urbanos, representa 3,45% do total de resíduos recolhidos”, explica a associação em comunicado.

Segundo a Zero, deveria ser implementado um sistema que responsabilize os produtores destes resíduos, o setor têxtil. Isto para garantir que “quem coloca o produto no mercado é que financia o sistema de encaminhamento e tratamento dos resíduos quando estes chegam ao fim da sua vida”.

Explicam, no entanto, que este não pode consistir num sistema de “pagar para poluir”. “É fundamental que o foco seja na redução da produção, no incentivo a têxteis duráveis/reutilizáveis/reparáveis e na garantia de que a sua produção é feita a pensar também na sua reciclagem em upcycling, ou seja, fibra reciclada que possa ser usada para fazer novos têxteis.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT