Moda

Taken: a marca que cruza a natureza e o urbano lança nova coleção para o frio

Com produtos fabricados apenas com algodão, a etiqueta portuguesa quer distinguir-se pela transparência e consciência ambiental.
Coleção de outono tem uma vibe mais urbana.

Da natureza para a cidade. A Taken lançou-se no mercado da moda português na primavera de 2023, com uma coleção de camisolas e T-shirts de cores alegres e ligadas a um ambiente mais natural. Agora, para as estações mais frias, aposta noutros tons, com uma linha que gira em volta de um ambiente mais urbano.

“A paisagem atual é uma cacofonia de contrastes, desde florestas luxuriantes até às selvas de betão”, diz Pedro Soeiro Dias, o fundador da Taken. “Esta coleção de outono pretende ecoar essa diversidade. O ambiente urbano é intencional. Vivemos em tempos difíceis, mas transformadores, e as cidades são muitas vezes onde a luta — e a mudança — acontecem de forma mais visível. Ao focar-nos nas ruas, estamos a colocar a nossa mensagem no contexto onde a urgência encontra a ação”, acrescenta o fundador da marca de 44 anos.

Pedro vive na Ericeira, lugar que tem precisamente este contraste: a junção da serra até ao mar, mas também o lado mais vibrante de uma vila em crescimento. Esta vivência próxima da natureza foi uma das grandes inspirações para a criação da marca.

Num momento em que é fundamental assumir que o mundo é global e todos temos a responsabilidade de cuidar dele, a melhor forma de o fazer é com transparência, honestidade e integridade. Assumir apenas que se é sustentável, sem ter a mínima vontade de mostrar ao que vimos e como queremos nos expor, não faz nenhum sentido”, diz Pedro que, apesar desta aposta, não tem um passado ligado à moda.

É “marketeer da cabeça aos pés”, como o próprio se descreve, mas entrou neste mundo pela sua paixão pelas marcas em geral. A moda em específico foi uma escolha simples de explicar: “Sou vaidoso”.

Tal como acontece com o seu fundador, é na transparência que a Taken assenta acima de tudo — uma marca comprometida com ser ética e a toma de decisões responsáveis que vão além das modas passageiras. Aqui, todas as camisolas são feitas de apenas algodão e concebidas em Portugal. Uma regra que não só “confere muita qualidade, mas acima de tudo oferece proximidade com os pontos de venda”.

A própria etiqueta é ecológica. Ao invés de um pedaço de tecido de poliéster cosido à roupa, a Taken tem a informação técnica impressa na roupa, de modo a facilitar a reciclagem após o uso intensivo das peças.

“Com a evolução da marca é mais do que natural que não conseguiremos produzir tudo em Portugal, mas mesmo aí queremos ter a capacidade de informar de forma o mais transparente possível a origem e confeção das peças. Isto é uma coisa que se revela mesmo assim muito difícil, talvez impossível, mas que queremos muito conseguir”, adianta Pedro.

A coleção de outono conta uma palete de cinco novas cores, mais outonais: dois verdes, um claro e outro num tom floresta, um azul eclético, um amarelo torrado e um rosa pálido. E na tal onda de ser uma marca para todos, mantém toda a linha sem género, com cortes largos e confortáveis, que podem ser usados por qualquer pessoa.

“A expetativa é muito realista, até porque os modelos são semelhantes, mas em cores mais outonais. Ainda assim, esperemos que o mercado reconheça cada vez mais a marca e aceite a sua proposta”, adianta Pedro.

O novo catálogo tem opções em hoodies com capuz (a partir de 60€), sweatshirts (a partir de 40€) e t-shirts (a partir de 35€). Pode encontrar estas sugestões à venda online ou nas lojas Ericeira Surf and Skate.

Carregue na galeria para conhecer melhor os produtos de design simples e sustentável da marca.

ver galeria

Áudio deste artigo

Este artigo foi escrito em parceria com a Taken.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT