Moda

Já pode conhecer a alta-costura parisiense do pós-guerra no Museu de Traje

A exposição "Viver a sua Vida: Georges Dambier e a Moda" pode ser visitada até 30 de outubro. É uma viagem no tempo.
A oportunidade para conhecer um pouco da história da Moda. (Museu do Traje/Instagram)

Poucas manifestações artísticas captam tão bem a história da moda como a fotografia. Na ausência das criações, muitas vezes perdidas no tempo, são os arquivos visuais que se encarregam de manter as memórias vivas. Inaugurada no dia 6 de maio, a exposição “Viver a sua Vida: Georges Dambier e a Moda” pode ser visitada até dia 30 de outubro no Museu do Traje. A mostra reflete o papel do memorável fotógrafo francês no contexto da alta costura parisiense no período do pós-guerra.

Os anos que se seguiram à II Guerra Mundial foram marcados por transformações, nomeadamente no vestuário. Foi, afinal, a altura em que Christian Dior deu a conhecer o “The New Look ao Mundo”. Numa época de procura pela liberdade, o francês George Gambier surgiu com uma assinatura estética muito específica. Não só foi um dos primeiros fotógrafos a tirar as modelos do estúdio, levando a alta costura para as ruas, como rompeu com as poses estáticas e repetitivas. Empoderava as mulheres com quem trabalhava através de registos quotidianos, pelas ruas, inclusive portuguesas.

A exposição explora este legado disruptivo através de 39 fotografias, divididas por seis núcleos temáticos. Através de retratos de nomes como Brigitte Bardot, Anna Karina, Barbara Mullen, Bettina, Capucine, Dorian Leigh, Fiona Campbell-Walter, Gigi ou Suzy Parker, explora-se a forma como Dambier empoderou as mulheres com quem trabalhou. E, agora, são imortalizadas através do seu contributo para o mundo da moda e da fotografia.

Com curadoria de Anabela Becho, historiadora e investigadora de Moda, em colaboração com os arquivos Georges Dambier Photos, o acervo pode ser visitado de terça-feira a domingo entre as 10 e as 13 horas e das 14 às 18 horas. O ingresso custa 2€, para a exposição temporária, e 5€ para a exposição permanente.

O cartaz da exposição.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT