Moda

Zendaya foi a estrela na red carpet da Met Gala — e trouxe estilo em dose dupla

A atriz não pisava a escadaria do Metropolitan Museum of Art desde 2019. Cinco anos depois, volta a surpreender com dois visuais icónicos.
A atriz não passou despercebida.

Zendaya não faz por menos. Depois de abalar a Disney ainda em criança e de arrombar as portas da televisão com a bombástica performance em “Euphoria”, saltou para o cinema onde, só em 2024, brilhou na sequela do enorme blockbuster “Dune” e na nova obra de Luca Guadagnino, “Challengers”. Com regresso marcado à red carpet da Met Gala, fez a única coisa que está habituada a fazer: a centrar em si todas as atenções.

E fê-lo graças a dois looks, uma espécie de vingança por não pisar os degraus do Metropolitan Museum of Art há cinco anos. Foi uma das participantes que cumpriu de forma criativa e excêntrica o tema da festa — “O Jardim do Tempo”.

A atriz foi uma das primeiras a atravessar a passadeira vermelha, precisamente por integrar o grupo de anfitriões da edição deste ano. O primeiro look, pensado por Law Roach, foi um vestido azul-marinho de John Galliano, da Maison Margiela, com um chapéu a condizer — uma escolha decisiva para o dress code. A inspiração, essa veio de vestido Dior de 1999.

A peça de um ombro apenas, apresentou uma longa saia em formato trompete, coberta de listas diagonais azul royal e verde esmeralda e ainda alguns detalhes em forma de fruta, adornados num dos lados da cintura. Elevou ainda mais a fasquia com uma malha de rede e um fascinador de penas de tule.

Dois looks icónicos.

Quando todos julgavam que a passadeira estaria prestes a encerrar com o vestido preto, exuberante e gigante de Cardi B, Zendaya entra novamente, com mais um visual extraordinário. A sua segunda chegada à passadeira, já depois da transmissão ter terminado, foi um dos momentos mais marcantes do evento. 

O vestido criado por John Galliano para a casa Givenchy em 1996, incluía um corpete com espartilho com mangas longas e bufantes fora dos ombros e uma bainha peplum estruturada. A saia, com alguns metros, quase cobria a escadaria do Met. Finalizou o visual com um fascinador embrulhado em tule preto — como tema buquê — desenhado por Philip Treacy para Alexander McQueen em 2006.

A última vez que a atriz tinha marcado presença no Met Gala foi em 2019, sob o tema “Camp: Notes on Fashion”. Aqui vestiu um vestido de baile desenhado por Tommy Hilfiger, inspirado pelo filme de animação Cinderela.

Carregue na galeria para ver alguns dos looks que mais se destacaram na passadeira vermelha da edição deste ano.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT