Cinema

7 filmes que são pérolas escondidas na Netflix — e perfeitos para ver no fim de semana

Há dramas que vão puxar as lágrimas, mas também histórias de terror assustadoras. O que têm em comum? O amor dos críticos.
Há de tudo, desde comédia a terror.

“A Viagem de Chihiro”, “O Meu Vizinho Totoro” e “A Princesa Mononoke” são três dos filmes mais famosos do emblemático Studio Ghibli. Mas há mais joias para descobrir com a assinatura destes japoneses. “O Conto da Princesa Kaguya” é o melhor exemplo deste fenómeno.

Foi lançado em 2013 e é uma das pérolas escondidas que pode ver na Netflix. Apesar de ser menos popular, detém um recorde impressionante: é a produção mais cara do estúdio, com um custo de cerca de 29 milhões de euros. Demorou ainda oito anos a finalizar.

O filme assinalou o grande regresso de um dos maiores génios do cinema de animação japonês, Isao Takahata, que morreu em 2018 e trabalhou em êxitos como “O Túmulo dos Pirilampos”, “Pom Poko”, “O Castelo no Céu” e “Memórias de Ontem”.

Kaguya é uma bebé que é encontrada dentro de um tronco de bambu. Com o passar dos anos, torna-se numa bela jovem e passa a ser cobiçada por cinco nobres, entre eles o imperador do Japão, mas nenhum dos pretendentes lhe agrada. A protagonista pede-lhes presentes quase impossíveis para evitar casar-se com um estranho mas, no final, tem de lidar com as consequências das suas ações.

No Rotten Tomatoes, a produção conta com uma avaliação perfeita de 100 por cento. “Esteja preparado para um desfecho melancólico que não é adequado para miúdos pequenos, mas que adultos e miúdos mais velhos podem achar doloroso”, descreve o “Radio Times”.

Se está à procura de uns bons sustos, “1922” é a proposta perfeita. Baseado num livro de 2010 de Stephen King — indicador de que se trata de mais um clássico do cinema de terror — a obra estreou diretamente na Netflix em 2017.

O enredo acompanha Wilfred “Wilf” James, um agricultor que vive em Nebraska com Arlette James, a sua mulher, e com Henry, o filho de 14 anos. A esposa do protagonista pretende vender a quinta e mudar-se para Omaha, algo que o marido não quer. Para que tal não aconteça, pede a ajuda de Henry para assassinar a mãe.

No mesmo agregador de críticas, a obra realizada por Zak Hilditch — e protagonizada por Thomas Jane, Molly Parker e Dylan Schmid — conta com uma pontuação de 92 por cento. “Uma adaptação bastante satisfatória da obra de Stephen King sobre a culpa insaciável desencadeada pelo pecado mortal do assassinato”, diz a “Variety”.

Há vários outros tesouros escondidos que pode conhecer na Netflix, desde comédias a filmes que o vão fazer chorar desconsoladamente. Carregue na galeria para os conhecer.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT