Cinema

A mansão onde Heard ficou durante o julgamento custava 21 mil euros por mês

Advogada alega a cliente que não consegue pagar a indemnização a Depp, mas a casa onde viveu nas últimas semanas não foi barata.
Fica a 30 minutos do tribunal.

O veredicto do júri do Tribunal do Condado de Fairfax, na Virgínia, finalizou o mediático julgamento entre Johnny Depp e Amber Heard, disputa vencida pelo ator. No entanto, a audiência que acompanhou os acontecimentos de forma fervorosa continua investida nas histórias de bastidores e nas curiosidades que (ainda) marcam a vida do ex-casal. O valor da casa que Amber Heard alugou durante o julgamento, por exemplo, surpreendeu muita gente.

Após o anúncio da decisão a favor de Depp, a advogada da atriz afirmou que a cliente iria recorrer da sentença. Uma razões do recurso deve-se ao apoio avassalador ao ator no mundo digital — aliado à avalanche de críticas e ameaças feitas pelos mesmos apoiantes a Heard — terá criado uma espécie de “zoo” na sala de tribunal, algo que, na opinião da Elaine Brehoft, “influenciou” o veredito do júri.

Outros dos motivos para pedir a reavaliação do veredicto é porque, segundo a causídica, Heard não tem como pagar a indemnização de 15 milhões de euros ao ex-marido. Porém, durante o decorrer do julgamento, a protagonista de “Aquaman” morou numa casa com um renda mensal de aproximadamente 21 mil euros, aponta o site “TMZ” que alega ter tido acesso ao contrato de arrendamento da propriedade.

A mansão, localizada nas redondezas do tribunal onde decorreu o julgamento, conta com 1.207 metros quadrados. Tem o seu próprio campo de ténis, uma sala de teatro, um estúdio de fitness e um spa. O valor e a apresentação luxuosa do espaço despertaram interesse do público sobretudo devido aos testemunhos da advogada sobre as finanças de Amber Heard.

Recorde alguns dos momentos mais bizarros do polémico julgamento. Leia o artigo da NiT que relata a espiral descendente que se abateu sobre a carreira de Johnny Depp. Também lhe contamos a história de Amber Heard e como o artigo na origem do processo de difamação poderá não ter sido escrito por ela. Saiba também o que levou o “The Washington Post” a não apagar artigo da atriz, tendo acrescentado apenas uma nota do editor no final do texto que dá conta da decisão judicial.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT