Cinema

Ator francês que encarnou Astérix acusado de agressão sexual

Édouard Baer, de 57 anos, nega tudo. Ia atuar em 15 espetáculos no Teatro Antoine, em Paris, — mas foram cancelados.
Aos 57 anos é acusado por duas mulheres.

Depois do ator que interpretou Obélix, Gérard Depardieu, ter sido alvo de várias denúncias de agressão sexual, também Édouard Baer (Astérix) está a ser acusado de assédio e abuso por seis mulheres. As alegações foram tornadas públicas pelos sites Mediapart e Cheek a 23 de maio.

As vítimas, com idades na faixa dos 20 anos, acusam Baer de ter os cometido os crimes entre 2013 e 2021 em contexto profissional, no escritório, e durante produções teatro e de rádio, adianta a agência francesa “AFP”.

O ator de 57 anos, que interpretou o destemido gaulês no sucesso de bilheteira “Astérix e Obélix: Ao Serviço de Sua Majestade” já reagiu às acusações. “Não me reconheço nas palavras nem nos gestos que me são atribuídos, só posso expressar o meu pesar pelo meu comportamento ter deixado estas mulheres desconfortáveis ​​ou magoadas”, afirmou em comunicado.

Baer, ​​que também encarnou Salvador Dali no filme “Daaaaaali!” do ano passado, deveria atuar em cerca de 15 espetáculos ao vivo no Teatro Antoine, em Paris, em junho. No entanto, a organização anunciou o cancelamento dos espetáculos sem adiantar qualquer justificação.

Esta quarta-feira, 29 de maio, vários diretores de elenco apelaram à proibição de nudez durante as audições em França e avançaram com a proposta de uma nova lei para prevenir abusos.

Um mês antes, a 29 de abril, Gérard Depardieu, que contracenou com Baer em “Astérix e Obélix: o Serviço de Sua Majestade”, foi detido após duas antigas colegas de trabalho terem revelado que foram vítimas de assédio, comentários obscenos e agressões sexuais. Na altura, Amélie Kyndt, de 53 anos, apresentou queixa no final do mês fevereiro, onde acusou o ator de a “agarrar brutalmente” e “esfregar a sua cintura, barriga e até os seios”, um ataque que chegou até a ser impedido pelos guarda-costas do próprio. Em 2023 já havia sido acusado por 13 mulheres, estando o julgamento previsto para outubro deste ano.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT