Cinema

Bradley Cooper foi porteiro, mas também toca contrabaixo e é fluente em francês

O protagonista e realizador de "Maestro" chegou a viver em França e escreveu uma tese sobre "Lolita", de Vladimir Nabokov.
Bradley Cooper viveu em Aix-en-Provence

Bradley Cooper esteve seis anos a treinar para conseguir conduzir uma orquestra. A dedicação refletiu o trabalho de preparação do ator de 48 anos para interpretar o aclamado Leonard Bernstein. Aprendeu a arte da condução com Yannick Nézet-Séguin, responsável pela Metropolitan Ópera de Nova Iorque, que elogiou a performance no filme. “Maestro” chega às salas de cinema nacionais esta quinta-feira, 7 de dezembro.

A música clássica é uma paixão que começou a alimentar em miúdo. Antes de ser ator teve aulas de canto e aprendeu a tocar contrabaixo. No entanto, este não é o “segredo” surpreendente do artista, que também é fluente em francês e chegou a trabalhar como porteiro.

Durante a juventude, o cinema estava bem longe da mente do natural de Filadélfia. Inicialmente, pretendia frequentar a academia militar de Valley Forge e interessava-se por basquetebol e culinária. Tudo mudaria quando o pai o introduziu a “Elephant Man” (1980), filme de David Lynch, que o inspirou a seguir uma carreira enquanto ator.

No entanto, antes de chegar ao estrelato de Hollywood, Cooper teve diversos empregos e estava investido numa área completamente diferente. Após concluir o curso superior, em 1997, onde fez uma especialização em estudos ingleses (com uma tese sobre “Lolita”, de Vladimir Nabokov) mudou-se para Nova Iorque.

Ali trabalhou como porteiro noturno no Morgans Hotel, enquanto estudava representação com o reputado James Lipton. O professor era o apresentador do programa “Inside the Actors Studio”, onde Bradley chegou a participar, tendo oportunidade de interagir com Robert De Niro e Sean Penn.

Apesar do primeiro papel, em 1999, ter sido numa curta aparição na série “Sexo e a Cidade”, ao lado de Sarah Jessica Parker, chegou a tentar a sua sorte noutra vertente da televisão: enquanto apresentador. Entre 2000 e 2001, conduziu um programa da PBS, “Treks in a Wild World”, um programa sobre viagens.

Cooper apareceu em nove episódios e viajou para locais como a costa da Croácia, o Alasca, a ilha de Terra Nova e Peru. Um dos momentos mais marcantes aconteceu quando este visitou uma praia de nudismo numa ilha croata. Enquanto entrevistava as pessoas na praia, foi convidado a despir-se, no entanto, recusou.

“Lembro-me de pensar o que aconteceria, caso um dia me tornasse ator profissional. Como seria se aquela gravação minha a falar com um tipo nu durante vinte minutos fosse tornada pública”, recordou, entre risos, o ator numa entrevista de 2011, citado pelo “Dubrovnik Times”. O vídeo pode ser visto no YouTube.

Outros dos talentos pouco conhecidos de Cooper é a sua fluência em francês. Em entrevistas, sempre que foi interpelado naquele idioma responde corretamente. O nomeado para nove Óscares teve o primeiro contacto com a língua de Molière no ensino secundário. Mais tarde, quando era estudante na Universidade de Georgetown, decidiu aprofundar o conhecimento.

“Quando era jovem, lembro-me de ver o ‘Chariots of Fire’ (1981), onde existe uma cena com um tipo a falar francês e pensei: ‘Isto é muito interessante. Também quero aprender francês'”, explicou, em entrevista à “People”, em 2011.

De forma a aprofundar os conhecimentos nesta língua e cultura, fez um intercâmbio de seis meses em Aix-en-Provence, no sul de França, em 1996. “Estudava na Universidade de Bates (em Maine, nos EUA) ficámos por lá seis meses, com outros 15 jovens de 20 e poucos anos. Passámos um semestre na faculdade de Aix-en-Provence a falar francês”, descreveu Courtney Scott, autora do blogue “This Is What I’ve Been Assigned”, terá ido na mesma viagem que o ator e publicou algumas fotos onde se pode ver um jovem Bradley Cooper.

Apesar de revelar que não tem nenhuma história chocante para partilhar, detalha que o ator era muito simpático e um pouco solitário. “Ele falava francês muito bem, mas isso não era, especialmente, notável, uma vez que era um programa bastante intenso e de imersão total. Éramos todos bastante fluentes. Ele era bastante sério. Sempre imaginei que ele se iria tornar um advogado ou professor. Mas não foi isso que aconteceu”, escreve, acrescentando que nunca mais tiveram contacto.

Após participar em “Dungeons & Dragons: Honra Entre Ladrões” e “Guardiões da Galáxia vol. 3”, Bradley Cooper prepara-se para a estreia do seu terceiro filme de 2023, “Maestro”. Protagonizado e realizado pelo próprio, chega às salas de cinemas nacionais a 7 de dezembro e à Netflix a 20.

Carregue na galeria para conhecer as séries que chegaram à televisão e às plataformas de streaming em dezembro.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT