Cinema

“Cats” pode ser o pior filme da década — as críticas são terríveis e hilariantes

O filme de Tom Hooper estreou em Portugal a 26 de dezembro, mas talvez não o queira ver.
O filme estreia esta quinta-feira, 26 de dezembro.

Vários fãs do musical não acharam piada quando foi anunciado que iria ser feito um filme de “Cats” — mas ninguém poderia esperar que a adaptação de Tom Hooper, o realizador de “Os Miseráveis”, tivesse resultados tão maus.

Afinal, “Cats” é um dos musicais mais premiados e populares do mundo — estreou no início dos anos 80 tanto em West End, em Londres, no Reino Unido; como na Broadway, em Nova Iorque, nos EUA. A história que se foca num mundo de gatos que cantam e dançam foi criada por Andrew Lloyd Webber e é baseada na antologia poética “Old Possum’s Book of Practical Cats”, de T. S. Eliot.

O filme estreou em Portugal a 26 de dezembro e conta com um elenco com várias estrelas — algumas delas atores profissionais, outros são especialistas noutras áreas. Idris Elba, Judi Dench, Ian McKellen, Jennifer Hudson, Taylor Swift, James Corden e Jason Derulo são alguns dos nomes.

No entanto, o elenco não chegou para conseguir salvar “Cats”. A produção estreou nos EUA e no Reino Unido, além de outros países, a 20 de dezembro, e teve números bastante fracos no primeiro fim de semana em sala. Sobretudo para um filme que teve um orçamento de cerca de 90 milhões de euros.

Além disso, grande parte das pessoas que deram uma hipótese a “Cats” também não ficaram satisfeitas com o resultado. Há inúmeros relatos no Twitter de espectadores que abandonaram a sala de cinema a meio do filme.

“A melhor parte da nossa exibição de ‘Cats’ foi quando, a cerca de dois terços do filme, um homem no público levantou-se, disse ‘este filme é mau e eu vou sair’, e foi-se embora enquanto toda a gente aplaudia.”

Outro espectador contou mais um episódio que aconteceu no cinema onde foi ver o filme. “Esta noite fomos ver o ‘Cats’. Quando uma das muitas pessoas saiu da sala perto do fim do filme, alguém do público gritou: ‘acionem o alarme de incêndio!’”

Há mais um espectador que conta a sua experiência: “Havia cerca de 20 pessoas na minha exibição de ‘Cats’. Sete delas saíram da sala. Algumas estavam a rir-se descontroladamente no final. É mau e chocante. Acho que não consegues mesmo perceber o quão freaky e errado é até o veres.”

Alguns profissionais da indústria também criticaram fortemente o filme. É o caso da atriz Evan Rachel Wood, que comentou sobre ter visto “Cats”, no Twitter, na noite de Natal. “‘Cats’ é pior do que eu pensava que seria, e eu já pensava que iria ser horrível”, escreveu a estrela de “Westworld” e “Frozen: O Reino do Gelo”. “Talvez seja a pior coisa que eu já tenha visto. De sempre.”

Até James Corden, o famoso apresentador de televisão que aparece no filme, disse em entrevista à BBC que ainda não tinha visto “Cats” mas que já tinha ouvido que era “terrível”.

Por causa das críticas sobre a qualidade dos efeitos especiais, a revista “The Hollywood Reporter” noticiou que os estúdios da Universal Pictures iriam colocar nos cinemas uma nova versão de “Cats”, com os efeitos melhorados.

A “The Hollywood Reporter” disse que era um caso “nunca ouvido”, de uma situação destas acontecer com um filme terminado e já nos cinemas. O realizador Tom Hooper já tinha dito que tinha terminado a montagem e edição final muito pouco antes da estreia.

O melhor é ler algumas críticas, que são quase todas extremamente negativas para o filme — e, ao mesmo tempo, hilariantes. “Ver ‘Cats’ é como uma descida à loucura. Mas se não fosse suficiente tornar os gatos excitados (porque é que eles estão tão excitados?), Hooper também sente a necessidade de tornar as coisas nojentas ao tê-los a vasculhar pelo lixo e a usar os seus instintos animais. ‘Cats’ parece que está sempre a dois segundos de se tornar uma orgia de gatos num contentor do lixo. São quase duas horas a sentir esta energia”, diz a publicação “Collider”.

O jornal “The Guardian” também não apreciou o filme. “O cenário é Londres e parece pós-nuclear. Não há quaisquer pessoas, por isso talvez tenham rebentado bombas — ou talvez tenha acontecido um desastre biológico, o que resultou em mutantes de pessoas e gatos com pêlo digital. Enquanto eles olham para o ecrã verde e rastejam… é estranho vê-los a representar. E porque é que tantos deles nos fazem lembrar o Darth Maul? O realizador Tom Hooper tinha esta intenção?”

Na “Vulture”, Alison Willmore escreve que “pensar em ‘Cats’ como bom ou mau põe em causa toda a escala do que é bom ou mau”. “É uma monstruosidade.”

A revista “Variety” é outra das publicações de referência que se juntaram às críticas. “Nove vidas podem não ser suficientes para alguns dos atores se desprenderem do seu envolvimento nesta adaptação mal conseguida e executada”. Peter Debruge descreve a produção como “uma bola de pêlo mal digerida em que Hooper gasta demasiada energia a preocupar-se sobre se a tecnologia está preparada para encaixar na sua visão.”

Na “Polygon”, Karen Han escreve que “‘Cats’ é um sonho febril, uma alucinação, uma aproximação do que aconteceria se o teu terceiro olho realmente abrisse”. Já a “Vanity Fair” diz que o filme é “um rafeiro feio que cheira mal e que certamente ninguém deveria convidar para sua casa”. O “Detroit News” não tem dúvidas: “Esqueçam o pior filme do ano, ‘Cats’ é o maior desastre da década, e talvez até deste milénio.”

“Cats” tem uma pontuação de apenas 2.6 no portal IMDB, e, respetivamente, classificações de 18% e 32% no Rotten Tomatoes e Metacritic, os sites que aglomeram os resultados das críticas de várias publicações especializadas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT