Cinema

Chris Nolan está apaixonado, os críticos loucos e o público ama. É assim “Dune: Parte 2”

A tão sequela realizada por Denis Villeneuve vai ser, sem dúvida, um dos maiores sucessos do ano.
Está prestes a estrear.

As expetativas eram altas, e o orçamento (175 milhões de euros) também. Após alguns adiamentos e um par de anos à espera, “Dune: Parte Dois” chega finalmente ao cinema em Portugal nesta quinta-feira, 29 de fevereiro. Se estiver a pensar em comprar o bilhete, não se deverá arrepender — pelo menos se for daquelas pessoas que levam sempre a crítica especializada em consideração antes de entrar nas salas.

O épico realizado por Denis Villeneuve, de 56 anos, alcançou logo uma nota incrível no agregador Rotten Tomatoes, apenas tendo em conta as opiniões dos média que puderam ver o filme em primeira-mão. Atualmente, está com uma pontuação de 97 por cento. No iMDb a nota ainda não foi revelada, mas já é o quarto filme mais popular do momento, ficando apenas atrás de “Madame Web”, “Borderlands” e “Oppenheimer”.

“Dune: Parte Dois” foi filmado em Abu Dhabi, Jordânia, Budapeste e Itália. O elenco irá manter-se intacto, com algumas novas adições, caso de Florence Pugh, Léa Seydoux e Austin Butler. Além de Chalamet e Zendaya, aos seus papéis voltarão Rebecca Ferguson (Lady Jessica Atreides), Javier Bardem (Stilgar), Josh Brolin (Gurney Halleck), Stellan Skarsgård (Barão Vladimir Harkonnen), Dave Bautista (Glossu Rabban Harkonnen), Charlotte Rampling (Reverenda Madre Mohiam) e Stephen McKinley Henderson (Thurfir Hawat).

A narrativa vai continuar a acompanhar a odisseia de Paul Atreides, interpretado por Timothée Chalamet, que agora procura vingar-se do Imperador pela morte do pai e queda da sua casa — como vimos no primeiro filme. Ao mesmo tempo, os Fremen, que vivem no planeta Arrakis, preparam uma revolta contra os tiranos que têm governado a galáxia durante anos. Ao seu lado, Paul tem Chani, interpretada por Zendaya.

Antes das primeiras críticas serem divulgadas, já um grande nome tinha elogiado a obra: Christopher Nolan. “Creio que não é contar demasiado se disser que o ‘Dune: Parte Um’ era o primeiro ‘Star Wars’. Para mim, este é ‘O Império Contra-Ataca‘, que é o meu favorito da saga”, contou o realizador a 5 de fevereiro, durante uma sessão especial da obra de Denis Villeneuve (os cineastas são grandes amigos).

Nolan exaltou sobretudo a forma como a sequela consegue expandir de forma “incrivelmente emocionante” tudo aquilo que nos foi apresentado na produção anterior — a protagonizada por Timothée Chalamet, claro.

Compará-lo ao “O Império Contra-Ataca” (1980), o quinto episódio da franquia, é, por si só, um enorme elogio. Afinal, este é considerado o melhor filme de “Star Wars” e um dos melhores da história do cinema. No top 250 do IMDb, onde estão as obras mais bem-avaliadas, o filme com Mark Hamill, Harrison Ford e Carrie Fisher encontra-se na 15.ª posição, com 8,7 estrelas. 

Desde então, muitas publicações também mostraram a sua aprovação em relação a esta sequela. “Denis Villeneuve amplia o mito da sua criação com uma encenação perfeita, que é ao mesmo tempo épica e poética”, escreve o jornal espanhol “El Mundo”, que lhe atribui quatro estrelas em cinco.

Também há algumas comparações com outros fenómenos do cinema. “É um storytelling fantástico que não víamos desde ‘O Senhor dos Anéis'”, comenta a revista “Esquire”. “Ver o ‘Dune: Parte Dois’ foi como ver ‘O Cavaleiro das Trevas’ [considerada uma das melhores sequelas de sempre] pela primeira vez. Tal como o muito aplaudido filme do Batman, também o ‘Dune 2’ cria uma história que se destaca: independentemente do que veio antes ou do que se segue”, diz, desta vez, o “Diandra Reviews”.

Várias grandes referências do jornalismo ligado ao entretenimento também estão rendidas à continuação do filme de 2021. “Apesar de estar carregada com um tema forte e um grande espetáculo, a ‘Parte Dois’ é surpreendentemente ágil. Como cineasta, há muito tempo que Villeneuve tem dificuldades em equilibrar a narrativa com a imagem. Aqui, ele finalmente acerta”, descreve a “Vanity Fair”

A espera, adiantam muitas revistas, valeu a pena. “Supera as expectativas já elevadas que toda a gente tinha ao mergulhar o espectador numa narrativa complexa e com muitas camadas. Tem uma abordagem ao estilo de ‘Game of Thrones’ a temas como a brutalidade e a política”, destaca o site “MovieWeb”.

Engana-se quem pensa que todos os comentários são positivos. Uma dessas exceções está no site “FilmsInReview”. “Sim, é uma produção deslumbrante, mas não é uma obra-prima. Vou ser corajoso e dizer: [Christopher] Walken é um Imperador fraco e desequilibrado. O [Javier] Bardem parece que está num filme completamente diferente, e o estado emocional do [Dave] Bautista está num patamar acima de todos os outros. Apenas [Austin] Butler salva o filme”.

Independentemente das opiniões, a verdade é que os especialistas acreditam que a sequela de “Dune” vai superar os valores arrecadados pelo primeiro nas bilheteiras mundiais. Com base nas pré-vendas de bilhetes nos Estados Unidos, a “Parte Dois” pode juntar entre 60 a 80 milhões de dólares no primeiro fim de semana de estreia. Em comparação, a versão de 2021, angariou 41 milhões.

“Se o público e os críticos gostarem, vai ser um fenómeno estrondoso. O primeiro filme foi um sucesso apesar de ter sido afetado pela pandemia e pelo facto de ter sido disponibilizado no streaming quando também saiu no cinema”, diz à “Variety” David A. Gross, diretor-geral da Franchise Entertainment Research, uma empresa de consultoria ligada à indústria cinematográfica.

Carregue na galeria e conheça algumas estreias de fevereiro.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT