Cinema

A comédia francesa que está a ser arrasada por estereotipar os portugueses

Chama-se “Operação Portugal” e é um projeto de um humorista francês, que interpreta o protagonista.
"Operação Portugal" estreia esta quinta nos cinemas.

Um dos filmes que estrearam nos cinemas a 12 de agosto foi a comédia francesa “Operação Portugal”. Realizada por Frank Cimière, tem como protagonista D’Jal, um humorista francês que se tornou conhecido, entre outros elementos, por imitar o sotaque dos portugueses que vivem em França e fazer sketches com base nesse perfil.

Neste filme, D’Jal interpreta Hakim, um polícia francês de origem marroquina que se infiltra na comunidade portuguesa local para uma investigação ao tráfico de cocaína que está ligado ao setor da construção civil.

Em apenas três dias, Hakim vai ter de conseguir passar por português, embora encontre diversos obstáculos pelo caminho — sobretudo o seu azar e trapalhice no geral. Pelo meio, vai descobrir não só uma comunidade, mas uma família, pode ler-se na sinopse do projeto.

O elenco só inclui uma atriz portuguesa conhecida, Carmen Santos, ao lado de nomes como Sarah Perles, Pierre Azéma, Eric da Costa ou William Louis.

Independentemente da qualidade do filme, “Operação Portugal” está a ser bastante criticado pelos estereótipos que faz da comunidade luso-francesa. A revista “Télérama”, por exemplo, descreve o filme como “um acumular de estereótipos sobre a comunidade franco-portuguesa”.

No portal Allociné, muitos espectadores publicaram os seus comentários ao filme. Há vários que elogiam a produção, mas muitos outros (entre os quais descendentes de portugueses) que arrasam completamente “Operação Portugal”.

“Tive a má ideia de ir ver este filme antes do jogo de Portugal-França, para entrar no espírito. E foi mesmo mau. Apesar de toda a boa vontade do mundo para tentar ter um momento de celebração, não consegui achar este filme engraçado. Ele tenta-nos fazer rir de forma constrangedora ao circular pelos clichés portugueses. Gosto dos sketches dos portugueses feitos pelo D’Jal em palco. Mas não suficientes para servirem de base a um filme inteiro”, escreveu um utilizador do portal.

“Uma porcaria de nível estratosférico, com uma visão muito rançosa da comunidade portuguesa”, disse outro espectador. “As piadas não resultam. São sempre os mesmos clichés sobre os portugueses. Se o filme tivesse sido feito com clichés sobre americanos, africanos, judeus, índios, as associações já teriam entrado em ação. Pergunto-me como é que conseguimos financiar filmes como este?”, explicou outro utilizador.

“É um filme vergonhoso para a comunidade portuguesa, são sempre os mesmos clichés, as mesmas piadas”, escreveu outra pessoa. “Outra porcaria com clichés com mais de 60 anos sobre os portugueses”, comentou outro internauta.

“Baseado em clichés datados, o filme não tem história nem humor. Além de saíres da sala de cinema desconfortável, não te provoca sentimentos nenhuns. Imagino o que seria se este filme se tivesse focado noutras comunidades, teríamos dito que era racismo”, escreveu mais um espectador de “Operação Portugal”.

Leia também a crítica da NiT a “Operação Portugal” — o nosso repórter não gostou do filme, mas considerou que é mais um elogio aos portugueses do que uma ofensa. E leia a nossa entrevista com a atriz portuguesa Carmen Santos, que participou na produção.

Se estiver à procura de outras opções para ver nos cinemas, leia o artigo da NiT sobre “Nem Respires 2”, especialmente indicado para os fãs de histórias de suspense e terror. Carregue na galeria para conhecer os principais filmes que ainda vai poder ver este ano.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT