Cinema

Como Colin Farrell ficou completamente irreconhecível para entrar no novo “Batman”

O ator interpreta Penguin, um vilão associado da máfia, que vai ter direito à própria série de televisão.
Colin Farrell transformou-se para Penguin.

Oswald Cobblepot, ou simplesmente Oz (embora seja mais conhecido como Penguin), é um dos vilões icónicos das histórias de Batman. No novo filme centrado no vigilante de Gotham, que estreia nos cinemas portugueses esta quinta-feira, 3 de março, a personagem é interpretada por Colin Farrell.

É a terceira vez que Penguin aparece no cinema, depois da prestação de Burgess Meredith na produção de 1966 “Batman: O Invencível” e da versão de Danny DeVito em “Batman Regressa”, de 1992. Neste caso, Colin Farrell está completamente irreconhecível — até a voz e sotaque que usa são muito diferentes do habitual.

No novo “The Batman”, realizado por Matt Reeves, participam vários vilões da saga. Paul Dano é o bizarro The Riddler, John Turturro interpreta o líder da máfia Carmine Falcon. Penguin é o responsável pelo clube noturno da máfia em Gotham e é o braço direito de Falcon.

Para Colin Farrell interpretar esta personagem secundária, o artista Mike Marino construiu as próteses que alteraram profundamente o rosto do ator. Para as colocar e caracterizar completamente a personagem, o processo demorava quatro horas antes de cada dia de rodagem. Eventualmente, com a prática, conseguiram reduzir para duas horas. 

Além da cara, o ator irlandês de 45 anos teve de usar um fato que o tornasse mais pesado e entroncado. Farrell tinha ganho bastante peso para fazer a sua personagem na série “The North Water” e não estava disposto a fazer com que o seu corpo passasse pelo mesmo tão cedo.

“O Mike Marino é um génio”, disse Colin Farrell à revista “IndieWire”. “Criou esta imagem para o Penguin. Ele e o Matt [Reeves] falaram sobre como é que seria esta personagem em termos físicos, e eu tinha ficado bastante grande para ‘The North Water’. Não queria ficar outra vez assim, de forma natural, porque tive alguns problemas de saúde como resultado disso. Então, pensei: caraças, esta coisa da representação não é assim tão importante. Conheço atores de topo que sobem e descem [de peso], e que Deus os abençoe, desejo-lhes saúde. Mas para mim, acho que ‘The North Water’ foi a última vez em que fui tão longe. Por isso, decidimos que usaria um fato que me tornasse gordo.”

O ator explicou ainda que, quando percebeu a estética da personagem, foi-lhe muito mais fácil encontrar a essência de Penguin. “Estava um pouco perdido. E, depois, quando vi o que o Mike fez, toda a personagem me fez sentido. Juro que vi aquilo e fiquei mesmo entusiasmado. Tudo isto para dizer que, se alguém pensar que consegui fazer uma performance decente em ‘The Batman’, aceito de bom grado 49 por cento dos créditos.”

Colin Farrell adiantou noutra entrevista que os estúdios da Warner Bros. estão a preparar uma série de televisão centrada em Penguin, que se irá passar após os acontecimentos deste “The Batman”. Este spinoff será um projeto da plataforma HBO Max — tem havido uma grande aposta da WarnerMedia no sentido de aproximar os filmes da Warner Bros às produções televisivas da HBO. Outros exemplos são “Peacemaker”, spinoff de “Esquadrão Suicida”; e a série de “Dune” que está a ser preparada.

Em declarações à “SFX Magazine”, o produtor Dylan Clark explicou que poderá ser uma história como a do filme icónico “Scarface”. “Estamos a fazer um [spinoff] com o Colin Farrell, a acompanhar a ascensão de Oz ao poder, quase como se fosse uma história de ‘Scarface’.”

Em conversa com a “Entertainment Tonight”, o ator também abordou este projeto. “Temos de nos focar no que o tornou no homem que ele é. Penso que irá começar onde este filme terminou. Acho que vamos arrancar um pouco depois do último fotograma deste filme. Vamos até ao mundo do Oz e como está a começar a sonhar com poder ser ele preencher a lacuna do vazio de poder que poderá existir.”

E acrescentou: “É uma personagem adorável e que explora vulnerabilidades. A sua violência é visível, a sua propensão para a violência e a sua habilidade para a usar como ferramenta é também, mas também vamos ver que todos temos sensibilidades. Todas as pessoas”.

Leia a crítica da NiT ao novo “The Batman”. Enquanto aguarda por esta série, carregue na galeria para conhecer produções televisivas que vai poder descobrir já nas próximas semanas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT