Cinema

“Corações Marcados”: o filme lamechas da Netflix que conquistou os portugueses

Ao longo das duas horas acompanhamos o desenvolvimento de um romance intenso, com muitas tragédias à mistura.
Prepare os lenços.

Em 2017, Tess Wakefield lançou o livro “Corações Marcados”, que se tornou num sucesso entre leitores de todas as idades. A história romântica, com emoções fáceis, foi adaptada pela Netflix, num filme lançado a 29 de julho. A produção, tal como a obra literária, está a conquistar os utilizadores da plataforma.

Sofia Carson interpreta Cassie, uma compositora e cantora que serve às mesas para se sustentar, ao mesmo tempo que tem dificuldade em levar a sua carreira mais além. Carson tornou-se conhecida após a sua participação em “Descendentes”, uma saga de filmes da Disney. Neste novo projeto, porém, a atriz de 29 anos dá vida a uma personagem mais adulta e complexa.

Ao seu lado está Luke (Nicholas Galitzine), um militar com um passado bastante conturbado. Para se ajudarem um ao outro decidem casar,  graças aos benefícios financeiros que isso traria. Cassie não tem dinheiro suficiente para pagar o seguro de saúde, enquanto que Luke tem a sua vida em risco devido ao seu passado no mundo das drogas. Sem dinheiro para pagar a dívida ao antigo fornecedor, começa a ser ameaçado pela máfia.

Os seus caminhos cruzam-se no bar onde a protagonista trabalha, e é bastante nítido que, inicialmente, não existe química nenhuma entre o par. Mesmo assim, arriscam e casam-se. Mas as coisas não ficam mais fáceis após a cerimónia. As discussões constantes entre ambos dificultam a tarefa de se apresentarem como um casal apaixonado. Apesar de tudo, insistem na ilusão de que, com o passar do tempo, o amor se vai tornar realidade. A relação tumultuosa culmina na noite em que têm sexo pela primeira vez, antes de Luke partir para o Iraque.

Depois de estarem separados por milhares de quilómetros, continuam a falar por videochamada, tornando-se claro o que sentem um pelo outro. Infelizmente, uma tragédia ocorre e vira por completo a vida do casal.

Todos aqueles que viram “Corações Marcados” não ficaram indiferentes à relação entre ambos e às dificuldades que tiveram de ultrapassar. Em Portugal, poucos dias após a estreia, passou chegou ao topo dos filmes mais vistos da Netflix. Os comentários nas redes sociais têm sido maioritariamente positivos.

“O que ‘Corações Marcados’ fez comigo não está escrito”, comenta uma utilizadora no Twitter. “Só para dizer que vi o filme ‘Corações Marcados’ e preciso de um romance assim”, “O filme ‘Corações Marcados’ é lindo E claro que eu tinha que acabar a chorar” e “‘Corações Marcados’, a história de amor mais linda que já vi este ano” são alguns dos outros elogios ao filme.

Contudo, parece haver uma enorme diferença entre as opiniões dos espectadores e a dos críticos especializados. No site “Rotten Tomatoes”, o projeto conta com apenas 30 por cento de aprovação por parte da crítica, e 85 por cento do público.

Mas afinal, o que há para não gostar nesta história lamechas? Para o jornal “The New York Times”, o problema está na narrativa e no desempenho fraco dos protagonistas. “O filme flutua entre um enredo e linhas narrativas artificiais, que ficam ainda piores devido à falta de química entre os atores.”

Por outro lado, alguns críticos percebem o que “Corações Marcados” estava a tentar alcançar, embora tenha falhado pelo caminho. “É fácil ver o potencial, mas ‘Corações Marcados’ apoia-se muito na sentimentalidade exagerada, com truques de narrativa criados para trazerem lágrimas”, diz Ferdosa Abdi, do “Screen Rant”.

Carregue na galeria para conhecer outra novidades da Netflix (e não só) que vale a pena ver nos próximos dias.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT