Cinema

DiCaprio só entrou em “Titanic” porque James Cameron ameaçou dispensá-lo

Mais de duas décadas depois, o realizador revela o que aconteceu durante o casting do filme que catapultou o ator para a fama.
Podia ter sido tudo bem diferente

Em 1997, “Titanic” tornou-se num dos mais bem-sucedidos filmes de sempre e lançou Leonardo DiCaprio para a ribalta. Apesar de ser difícil imaginar a produção sem o ator no papel de Jack Dawson, a verdade é que a sua participação no elenco esteve em risco e podia muito bem não ter acontecido.

A revelação foi feita por James Cameron, o realizador que, mais de vinte anos depois, decidiu tornar público um episódio que teve lugar durante o processo de audição. Em entrevista à “GQ”, o norte-americano que se prepara para lançar outro projeto de vida, a sequela de “Avatar”, abordou sobre o choque inicial entre ele e o ator.

“Tínhamos uma reunião marcada com o Leo para fazermos um teste de ecrã. Foi engraçado, porque estava sentado sentado na sala de conferências, à espera de me encontrar com um ator, olho à volta e as mulheres estavam todas na reunião. Queriam conhecer o Leo. Estava tudo histérico.”

DiCaprio era, então, o principal candidato ao papel de Jack, o co-protagonista da história a par com Rose, interpretada por Kate Winslet. Segundo Cameron, o ator “encantou toda a gente” nesse primeiro encontro. Faltava, então, uma segunda reunião, onde o realizador pretendia fazer um teste para ver DiCaprio a encarnar a personagem.

“Ele voltou uns dias depois e eu já tinha a câmara preparada para gravar. Não sabia que íamos fazer um teste. Achava que ia só encontrar-se a Kate e falar com ela”, recorda. “Virei-me para ele e disse: ‘Ok, vamos só à sala ali ao lado, percorremos algumas das falas e gravamos’. Ele respondeu: ‘Como assim, vou ler? Eu não leio.’”

Cameron não gostou da resposta e reagiu de imediato: apertou-lhe a mão e dirigiu-se para a saída. “Obrigado por teres vindo”, retorquiu. DiCaprio terá ficado estupefacto. “Espera, espera, se não ler, não fico com o papel? Assim, sem mais nem menos?”, questionou.

“Sim. Este filme é gigantesco e vou dedicar-lhe dois anos da minha vida. Quando ainda estiver a tratar da pós-produção do filme, tu já estarás ocupado com uma data de outros projetos. Por isso, não penses que vou deitar tudo a perder por causa de uma má decisão deste tipo, de simples um erro de casting. Ou lês, ou ficas sem o papel.”

O ultimato de Cameron foi decisivo. “Lá foi até à sala. Estava irritadíssimo até me ouvir dizer ‘ação’. Nesse preciso momento, transformou-se no Jack. A Kate brilhou e eles reproduziram a cena”, recorda, maravilhado com o que aconteceu no teste. “As nuvens cinzentas desvaneceram-se e surgiu um raio de sol que iluminou o Jack. Foi quando percebi que sim, ele era o tipo de que precisávamos.”

“Titanic” viria a conquistar onze Óscares e tornou-se num dos filmes mais bem-sucedidos em bilheteira da história do cinema. E Leonardo DiCaprio passou a ser um dos atores mais requisitados de Hollywood.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT