Cinema

Dos traumas de infância às mensagens chocantes: as alegações de Johnny Depp em tribunal

O ator está a processar a ex-mulher Amber Heard num julgamento inflamado. Testemunhou pela primeira vez esta terça-feira.
No rescaldo do final do julgamento.

Johnny Depp está a processar a ex-mulher Amber Heard por difamação, num julgamento que se está a tornar hiper mediático. O ator pede uma indemnização de 50 milhões de dólares (o equivalente a 46 milhões de euros) pelo artigo de opinião que Heard assinou no jornal “The Washington Post” em 2018.

Nesse texto, a atriz e modelo relata as suas alegadas experiências enquanto vítima de violência doméstica. Apesar de nunca mencionar o nome de Depp, os advogados do ator dizem ser claro de que as acusações se referem ao ex-marido, e que isso tem afetado a sua reputação e carreira.

Antes do artigo, Amber Heard já tinha acusado publicamente Johnny Depp de a agredir e estrangular em episódios violentos e voláteis. Esta terça-feira, 19 de abril, o ator testemunhou pela primeira vez no âmbito do processo, tendo negado que alguma vez tenha agredido alguém. Estes foram os principais tópicos.

As alegações “diabólicas”

Johnny Depp caracterizou as supostas alegações de Amber Heard como diabólicas, perturbadoras e “sem qualquer tipo de fundamento”. “A verdade é a única coisa na qual estou interessado”, testemunhou o ator. “As mentiras não levam a lado nenhum, mas geram mais e mais mentiras. Eestou obcecado com a verdade.”

O ator disse ainda que tinha de fazer algo para proteger os seus filhos, Lily-Rose e Jack, de 22 e 20 anos, fruto da sua relação com Vanessa Paradis. “Senti responsabilidade de não só me defender, mas de tomar uma posição pelos meus filhos. Achei diabólico que os meus filhos tivessem de ir para a escola e terem os amigos a abordá-los com a famosa capa da revista ‘People’ com a senhora Heard com uma nódoa negra na cara.”

Os traumas de infância

Os traumas de infância do ator também foram abordados. Depp descreveu como a mãe, Betty Sue Palmer — que morreu em 2016 — era uma pessoa “violenta” e “cruel” que exercia violência física e psicológica sobre ele. Revelou que a progenitora lhe atirava cinzeiros, sapatos de saltos altos e telefones.

“Os abusos verbais e psicológicos eram piores do que os espancamentos. Esses só causavam dor física, aprendes a lidar com ela e a aceitá-la.” Pelo contrário, descreveu o pai como um homem “calmo” e “muito bondoso”, que não reagia de forma impulsiva aos comportamentos da mulher.

Como a relação com Amber Heard mudou

Depp recuou no tempo para falar sobre o início da sua relação com Amber Heard, em 2012. “Era como se fosse demasiado bom para ser verdade. Era atenciosa, amável, esperta, bondosa, divertida e compreensiva”, contou em tribunal. Os dois ter-se-ão aproximado pela paixão comum pela música blues e pela literatura, e contou que Heard costumava descalçar-lhe as botas quando chegava a casa.

Segundo o ator, as coisas começaram a mudar um ano e meio depois. “Foi como se ela se tivesse tornado uma outra pessoa. As coisas começaram a revelar-se.” Depp alegou que Heard ficou visivelmente chateada quando, certo dia, o ator chegou a casa e descalçou as próprias botas. E disse que, se não fosse para a cama ao mesmo tempo que ela, isso motivava “reações invulgares”.

As mensagens chocantes — e o alegado humor negro

Outro dos assuntos abordados foram as mensagens chocantes sobre o corpo hipoteticamente já sem vida de Amber Heard que foram reveladas neste processo. Numa mensagem, Johnny Depp disse esperar que “o cadáver em decomposição [de Amber Heard] estivesse num porta-bagagens de um Honda Civic”. Também escreveu uma mensagem sinistra ao ator Paul Bettany sobre queimar e afogar a mulher: “Vou f**** o seu cadáver queimado para garantir que ela está morta”.

Johnny Depp mostrou-se “envergonhado” pelo que escreveu “no calor do momento”, alegando que a sua paixão pelo humor negro dos Monty Python e a sua relação com o amigo jornalista e escritor Hunter S. Thompson contribuíram para o seu vocabulário “expressivo”. 

“Por vezes, temos de lidar com a dor através do humor e, às vezes, com humor negro. Cresci a ver o Monty Python e tendo a ser muito expressivo quando escrevo.” Porém, admitiu que as suas “palavras infelizes” não podem continuar a ser enviadas.

As drogas e o álcool

Amber Heard terá alegado que alguns dos episódios de violência aconteceram enquanto Johnny Depp estava alcoolizado e drogado. O ator admitiu em tribunal que começou a usar drogas com apenas 11 anos, para se abstrair dos problemas familiares que lhe provocaram traumas de infância, mas que passou longos períodos (vários anos) em que não tocou em qualquer substância. Afirmou que as alegações da ex-mulher são “falsas” e que a atriz está a usar a toxicodependência com teve de lidar no passado contra ele. “Não sou um maníaco que precisa de estar pedrado o tempo todo”, frisou, acrescentando que abandonou o vício dos opióides durante a sua relação com Heard. A atriz e modelo assistiu silenciosamente a toda a sessão em tribunal.

Na sessão de segunda-feira, a enfermeira privada de Johnny Depp contou o episódio em que teve de andar à procura de uma parte do dedo do ator pela casa. O incidente tornou-se célebre nos últimos anos e as razões que levaram a este corte continuam a ser altamente contestadas por ambas as partes.

Leia também o artigo da NiT que relata o que aconteceu à carreira de Johnny Depp.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT