Cinema

Está decidido: cinema vai mesmo manter-se no Monumental

A decisão foi comunicada a 13 de março. Os números de espectadores de cinema estarem a aumentar foram uma das causas.
O parecer dado foi negativo.

O Cinema Monumental, no Saldanha, fundado em 1951, ainda como teatro, está vazio desde o início de 2019. Nessa altura, a empresa responsável pela exploração das quatro salas, a Medeia Filmes, considerou que o espaço não era economicamente viável. Tendo sido durante décadas um dos locais de espetáculos de referência em Lisboa, foi decidido esta quarta-feira, 13 de março, pelo Ministério da Cultura, que vai continuar a funcionar como cinema.

Desde a época em que fechou que a Merlin Properties, atual proprietária do edifício, não acreditava na viabilidade para reabrir o espaço. A imobiliária espanhola chegou até a receber propostas para reativar o cinema, mas em outubro do ano passado soube-se que estava a considerar ceder, a custo zero, o edifício para um centro tecnológico de ensino, o Tumo Lisboa.

Como tal, fez um pedido de desafetação do espaço à atividade cinematográfica, uma vez que para que o Monumental possa ter outro uso, é exigida uma autorização do ministro da Cultura — soubemos agora que o seu parecer foi negativo.

 “Foi possível verificar a existência de interessados na exploração do Cinema Monumental, capazes de apresentar propostas com elevada qualidade, pelo que não se encontram esgotadas as possibilidades de reativação da exibição cinematográfica naquele espaço”, avançou, por e-mail, o gabinete de Pedro Adão e Silva, ao “Observador”.

Os motivos que levaram a esta decisão (comunicada esta quarta-feira às entidades representadas na SECA – Secção Especializada do Cinema e do Audiovisual do Conselho Nacional de Cultura) foram o facto dos números de espectadores de cinema estarem a aumentar, segundo os dados das bilheteiras de 2023. Ao mesmo tempo, a decisão contraria iria contra as tendências de políticas culturais de Portugal e da União Europeia, orientadas para apoiar a atividade de exibição cinematográfica em sala.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT